Athletico processa Coritiba por danos morais e materiais


A rivalidade Atletiba pega fogo nos bastidores. Em janeiro de 2019, os dois clubes se enfrentaram em jogo do Paranaense e apenas torcedores do Furacão puderam comparecer à Arena da Baixada, fato que irritou a diretoria do Coritiba.

A revolta foi tão grande, que na ocasião, o Coxa entrou em campo com um protesto no uniforme: ‘Torcida humana: ideia pathética’.

Incomodada com a atitude do rival, a direção do Athletico entrou na justiça contra o Coxa e processa o clube do Couto Pereira por danos morais e materiais.

Na ação, que está em andamento na justiça de Curitiba, o Furacão pede R$ 104.500,00 de indenização por danos morais e R$ 35.385,28 por danos materiais. O valor total é de R$ 139.885,28.

Apesar do alto valor, o Furacão garante que, caso ele vença o adversário nos tribunais, ele vai doar o dinheiro a uma instituição de caridade.

Danos materiais

Na final do Paranaense 2019, o Athletico alega que torcedores do Coritiba destruíram diversas cadeiras do estádio, mictórios e vasos sanitários.

Relembre o caso

Em 2019, o Athletico proibiu a venda de ingressos para torcedores do Coritiba na Arena da Baixada e também impediu que eles a cor verde fosse utilizada no local. O ato foi denominado de ‘Torcida Humana’.

Na véspera do confronto, o Coritiba conseguiu o direito de ter um espaço reservado na Arena, mas o rival não acatou a liminar e manteve a postura.















Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também