Athletico-PR vence Bragantino (1-0) e é bicampeão da Sul-Americana

·4 min de leitura

O Athletico Paranaense se sagrou campeão da Copa Sul-Americana 2021 neste sábado ao derrotar o Red Bull Bragantino por 1 a 0 em Montevidéu, tornando-se a primeira equipe brasileira a conquistar o torneio duas vezes, após o título de 2018.

Nikão marcou o único gol da partida aos 29 minutos no Estádio Centenário, onde menos de 20 mil espectadores se distribuíram em sua maioria na tribuna olímpica, a maior do lendário palco do futebol, devido a uma baixa venda de ingressos.

No entanto, os torcedores do Furacão, em grande maioria e que coloriram parte das arquibancadas de vermelho e preto, empurraram o time e vibraram muito neste sábado quente da primavera uruguaia.

Já os poucos torcedores do Bragantino, cujo time lutou até o final, não puderam ver seu time levantar a taça pela primeira vez.

"É o dia mais feliz da minha carreira", afirmou o treinador do Furacão, Alberto Valentim, afirmando que sua equipe fez um jogo defensivo "quase perfeito".

Antes, na zona mista, o meia e herói da final Nikão declarou que o time aprendeu a jogar esse tipo de competição de matar-mata.

"Amadurecemos ao longo dos anos, já sabemos como funcionam as coisas", disse ele.

A análise foi compartilhada pelo treinador do Bragantino Mauricio Barbieri: "Os meus parabéns ao Athletico, que é uma grande equipe. (...) Foi eficiente numa das poucas oportunidades que teve".

Enquanto isso, centenas de torcedores do Athletico se reuniram em frente à Arena da Baixada, em Curitiba, para comemorar o título.

- Voleio de Nikão -

A iniciativa no início da partida foi inteiramente do Bragantino, que partiu pressionando a saída de bola e com maior controle da bola, enquanto o Athletico optou por se fechar atrás.

No entanto, o domínio do 'Massa Bruta' não conseguia se concretizar em profundidade para assustar o goleiro Santos.

Com o passar dos minutos, os jogadores comandados por Alberto Valentim começaram a avançar em campo, com uma chegada tímida do uruguaio David Terans.

O Athletico se salvou aos 20 minutos, com dois chutes consecutivos do argentino Tomás Cuello que quase abriu o placar.

Dois minutos depois, foi o Furacão quem teve duas chances seguidas, com disparos certeiros de Terans.

A primeira grande emoção da partida veio aos 29 minutos com um rebote que Nikão aproveitou com um voleio espetacular fazendo o primeiro gol e levando a torcida à loucura.

Após o gol, o Athletico tomou conta da partida, enquanto o 'Braga' se abalou e tentou digerir o golpe e se acertar em campo.

- Luta sem futebol -

Obrigados a marcar um gol, os jogadores comandados por Mauricio Barbieri entraram no segundo tempo com um vigor renovado e com claras intenções ofensivas.

Os rubro-negros se firmaram no campo adversário, tentando aproveitar as lacunas defensivas da equipe curitibana, que se manteve atrás e jogou mais no contra-ataque.

Artur teve uma boa chance para o Bragantino aos 66, com um chute que foi para fora por pouco.

Faltando 10 minutos para o fim do tempo regulamentar, o 'Massa Bruta' partiu totalmente para o ataque, com até mesmo seu goleiro Cleiton ficando muitas vezes mais perto do meio de campo do que do gol.

Porém, a reta final foi de pura luta e pouco futebol, com repetidas tentativas, incluindo uma cabeçada do Bragantino nos acréscimos (90+3) que quase empatou o confronto.

Mas o placar não se mexeu mais e a torcida do Athletico soltou o grito de "bicampeão" no Centenário.

-- Campeões e vices da Sul-Americana:

Ano Campeão Vice

2002 San Lorenzo (Argentina) Atlético Nacional (Colômbia)

2003 Cienciano (Peru) River Plate (Argentina)

2004 Boca Juniors (Argentina) Bolívar (Bolívia)

2005 Boca Juniors (Argentina) Pumas (México)

2006 Pachuca (México) Colo Colo (Chile)

2007 Arsenal (Argentina) América (México)

2008 Internacional (Brasil) Estudiantes (Argentina)

2009 LDU (Equador) Fluminense (Brasil)

2010 Independiente (Argentina) Goiás (Brasil)

2011 Universidad de Chile (Chile) LDU (Equador)

2012 São Paulo (Brasil) Tigre (Argentina)

2013 Lanús (Argentina) Ponte Preta (Brasil)

2014 River Plate (Argentina) Atlético Nacional (Colômbia)

2015 Santa Fe (Colômbia) Huracán (Argentina)

2016 Chapecoense (Brasil) Atlético Nacional (Colômbia)

2017 Independiente (Argentina) Flamengo (Brasil)

2018 Athletico Paranaense (Brasil) Junior (Colômbia)

2019 Independiente del Valle (Equador) Colón (Argentina)

2020 Defensa y Justicia (Argentina) Lanús (Argentina)

2021 Athletico Paranaense (Brasil) Red Bull Bragantino (Brasil)

gv/cl/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos