'Até quando nós, negros, seremos discriminados pela cor de nossa pele?', questiona Bruno Henrique


A fim de ecoar o movimento "Vidas negras importam", Bruno Henrique, do Flamengo, se manifestou na onda dos protestos antirracistas mundo afora. As manifestações começaram após o assassinato de George Floyd, negro, imobilizado e asfixiado pelo joelho até a morte pelo policial Derek Chauvin, em Minneapolis, nos Estados Unidos.

Em seu perfil oficial no Twitter, o atacante do Rubro-Negro desabafou e questionou a respeito das discriminações e menosprezos que a população negra sofre diariamente. Ao fim da mensagem, emendou com a hashtag "#BlackLivesMatter".

- Até quando nós, negros, seremos discriminados, menosprezados pela cor de nossa pele ou então encarados com desdém e desconfiança da cabeça aos pés? Quando um negro poderá sair da sua casa pela manhã sem nenhuma preocupação, sem temer pela sua vida? Quero poder criar o meu filho num mundo em que de fato a vida dele tenha valor. São inúmeros George Floyd, João Pedro e tantos outros a cada dia, a cada hora, a cada segundo. Chega! #BlackLivesMatter - escreveu Bruno Henrique, pai do pequeno Lorenzo.



Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Gabigol, Gerson, Vitinho, Lázaro, Hugo Souza (Neneca) e Everton Ribeiro (veja aqui) foram outros atletas do clube que ecoaram o movimento, impulsionado nos últimos dias. O Fla também apoiou a causa, através da seguinte postagem:

- Não podemos nos calar! Ficar em silêncio é estar ao lado do opressor - escreveu o clube.



Leia também