Astros do esporte dos EUA protestam contra injustiça racial

AFP
Giannis Antetokounmpo (E), dos Milwakee Bucks, foi um dos esportistas que aderiram aos protestos antirracistas nos Estados Unidos
Giannis Antetokounmpo (E), dos Milwakee Bucks, foi um dos esportistas que aderiram aos protestos antirracistas nos Estados Unidos

Esportistas americanos e de outros países que atuam nas ligas profissionais dos Estados Unidos se somaram ao coro que exige igualdade racial com várias manifestações de protesto em diferentes cidades do país.

Vários jogadores dos Milwaukee Bucks, da NBA, marcharam e falaram em um comício no sábado em Milwaukee, inclusive o MVP da Liga, o grego Giannis Antetokounmpo, que vestia uma camiseta com a frase "I cant't breathe" (Não consigo respirar).

"Queremos uma mudança", disse Antetokounmpo. "Queremos justiça. É por isso que estamos aqui. É isso que vamos fazer. É por isso que vou marchar com vocês. Quero que meu filho cresça e não tenha medo de caminhar pelas ruas, não quero que meu filho tenha ódio no coração".

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Não importa. Não importa a cor. Negros, brancos, amarelos. Não importa. Todos somos seres humanos", acrescentou Antetokounmpo.

O irmão de Giannis, Thanasis, e outros jogadores dos Bucks marcharam contra a injustiça racial e a violência policial, como o cubano-americano Brook López, Sterling Brown, Donte DiVincenzo, Frank Mason e Cam Reynolds.

Todos usavam camisetas com a frase "Não consigo respirar", uma referência às últimas palavras de George Floyd antes de morrer, sob custódia da polícia, em 25 de maio, em Minneapolis.

Floyd, um afro-americano de 46 anos, morreu depois que o policial branco Derek Chauvin, o asfixiou pressionando seu pescoço com o joelho por mais de oito minutos.

Chauvin foi acusado de homicídio em segundo grau e homicídio sem premeditação. Se for condenado, poderá ser sentenciado a até 40 anos de prisão.

Além disso, o promotor denunciará os outros três policiais que o acompanhavam por ajudar e incitar o homicídio.

Na quarta-feira, o astro da NBA Stephen Curry e seus colegas dos Golden State Warriors Klay Thompson, Kevon Looney e Damion Lee, participaram de uma marcha multitudinária pacífica na Califórnia, que repetiam em coro o nome de "George Floyd".

No sábado, o quarterback da NFL Dwayne Haskins, dos Washington Redskins, assistiu aos protestos contra a injustiça racial em Washington, capital americana.

O astro do NHL (hóquei sobre gelo), o eslovaco Zdeno Chara, también marchou pelas ruas de Boston na sexta-feira para dar seu apoio à comunidade negra.

Leia também