Astro da NBA critica UFC e sai em defesa de lutadores: "Precisam de mudanças"

UFC 221 pode contar com duas disputas de cinturão; entenda

Em agosto de 2016, uma nova organização, comandada por nomes influentes no MMA, foi criada com o intuito de unir os lutadores do UFC. No entanto, até o momento, a associação ainda não conseguiu alcançar grandes mudanças para os atletas. E, para um jogador de basquete da NBA, que recentemente se envolveu com as artes marciais mistas ao comprar uma participação da academia ‘Fortis MMA’ em Dallas (EUA), os lutadores ainda estão sendo explorados pelo Ultimate.

Deron Williams, jogador do Cleveland Cavaliers e membro da Associação de Jogadores da NBA, sempre foi um grande fã de MMA e, agora sócio de uma academia, se encontra ainda mais envolvido no esporte. Mas, na opinião do atleta, muitas mudanças ainda precisam ser propostas pelo sindicato, uma vez que os lutadores são totalmente explorados pelo Ultimate.

“É duro para eles. O UFC não é como o basquete. Nós temos um sindicato dos jogadores que estão lutando pela gente e nos ajudando a melhorar nossos contratos e essas coisas. Esses caras [lutadores] estão meio que sozinhos e a situação é aquela determinada pelo UFC. Então, é uma situação complicada”, declarou, antes de apontar que os lutadores deixam de ganhar uma fortuna com o modelo atual de contrato.

“Eu não sei o que vai acontecer. Acho que, definitivamente, algumas mudanças precisam ser feitas porque eles estão perdendo muito dinheiro do jeito que as coisas estão caminhando. Está dando certo para o UFC, obviamente. O modelo de negócio está funcionando”, finalizou.