Assalto em Criciúma: Polícia prende mais 6 suspeitos de participação no roubo a banco

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Com ela estavam malotes de dinheiro do Banco do Brasil, munições de fuzil 7.62mm, armas de fogo de uso proibido no Brasil e rádios transmissões. (Foto: Divulgação/Polícia Civil de São Paulo)
Com ela estavam malotes de dinheiro do Banco do Brasil, munições de fuzil 7.62mm, armas de fogo de uso proibido no Brasil e rádios transmissões. (Foto: Divulgação/Polícia Civil de São Paulo)

A Polícia prendeu seis homens suspeitos de participar do roubo a uma agência do Banco do Brasil em Criciúma, Santa Catarina, na noite de segunda-feira (30). As prisões ocorreram na tarde da quarta-feira (2) e na madrugada de quinta (3), segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Na madrugada desta quinta-feira (3), o Batalhão de Operações Especiais (Bope) prendeu um suspeito em uma casa na cidade de Três Cachoeiras, no Rio Grande do Sul, que fica a cerca de 100 km de Criciúma.

Mais dois homens foram encontrados em um viaduto da BR-116 em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, no inicio da tarde da quarta-feira (2).

Leia também

De acordo com o G1, eles foram levados até o Departamento Estadual de Investigações Criminais da Polícia Civil, na capital Porto Alegre.

Os outros três suspeitos foram localizados entre a divisa de Torres, no Litoral Norte gaúcho, e Passo de Torres, já em Santa Catarina. A delegacia de polícia de Araranguá, localizada a cerca de 35km de Criciúma, recebeu esses suspeitos.

Além disso, uma mulher de 31 anos também foi presa suspeita de ter participado do assalto. A prisão ocorreu na tarde de quarta-feira (2) em São Paulo. Segundo a Polícia, ela foi localizada, após uma denúncia, no Jardim Reimberg, Zona Sul da capital paulista. Com a mulher os policiais encontraram malotes de dinheiro do Banco do Brasil, que serão periciados.

Relembre o caso

Cerca de 30 pessoas encapuzadas causaram terror na cidade ao roubar o cofre de uma agência do Banco do Brasil. Funcionários foram feitos reféns, vias foram bloqueadas e disparos com armas de grosso calibre foram efetuados durante a madrugada.

De acordo com a Polícia Civil, 30 criminosos teriam participado da ação coordenada. Até as 7h da manhã de terça, nenhum suspeito havia sido preso. Um policial militar e um vigilante ficaram feridos.

Para retardar as ações de combate da polícia, os suspeitos já haviam preparados bloqueios em diversos pontos da cidade. Segundo a PM, o grupo incendiou um túnel que dá acesso a cidade, atacou o Batalhão da Polícia e ateou fogo a carros.

Ainda não se sabe a quantidade de dinheiro que foi roubado. Durante a fuga dos criminosos, parte das cédulas roubadas foi abandonada no local.