As 10 piores traduções de títulos de filmes já vistas no Brasil

Rafael Monteiro
·3 minuto de leitura
"Se Beber, não Case"? "Meu Primeiro Amor 2"? "Cada Um Tem a Gêmea que Merece"? (reprodução)
"Se Beber, não Case"? "Meu Primeiro Amor 2"? "Cada Um Tem a Gêmea que Merece"? (reprodução)

Ok, traduzir um título de filme do inglês para o português muitas vezes é difícil. Mas o Brasil muitas consegue caprichar na criatividade e até comprometer os longas-metragens, entregando spoilers de graça para o público.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Mostrando como um título mal traduzido pode prejudicar a experiência no sofá ou nas salas de cinema, apontamos 10 casos clássicos de versões brasileiras não tão boas quanto as dublagens da saudosa Herbert Richers.

Leia também

"The Hangover": "Se Beber, Não Case" (2009)

A tradução literal do título em inglês seria "A Ressaca". O título "Se Beber, Não Case" faz sentido quando levamos em conta a trama do primeiro filme - que mostra uma despedida de solteiro maluco -, mas perde completamente o sentido no terceiro longa, quando nenhum personagem está se casando.

"Persona": "Quando Duas Mulheres Pecam" (1956)

Não à toa os fãs brasileiros do clássico de Ingmar Bergman chamam o filme pelo seu título original. A versão brasileira, além de bizarra, ainda entrega um spoiler importantíssimo sobre o desfecho da relação entre as personagens de Liv Ullmann e Bibi Andersson.

"My Girl": "Meu Primeiro Amor" (1991)

Tudo bem: o título em português pegou no Brasil e algo como “Minha Garota” ficaria sem graça em português. O que os tradutores não imaginavam era que o clássico da Sessão da Tarde ganharia uma sequência, gerando uma bizarrice chamada "Meu Primeiro Amor - Parte 2" (1994). Para a sorte deles, o segundo longa, sem Macaulay Culkin, passou despercebido pelo público.

"Annie Hall": "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa" (1977)

Um dos filmes mais importantes da carreira de Woody Allen ganhou um título digno de comédia ruim. O mais bizarro é que o título em português nada tem a ver com a história do filme - que nem de longe tem como tema principal o casamento. Como a personagem mais importante da carreira de Diane Keaton, “Annie Hall” cai muito melhor.

"The Sound of Music": "A Noviça Rebelde" (1965)

"A Noviça Rebelde" é outro título que indiscutivelmente pegou no Brasil. Sonoro, o nome, porém, causa estranheza quando nos deparamos com a história da protagonista interpretada por Julie Andrews, cuja maior rebeldia é... gostar de música, como indica o título original (“O som da música”).

"Nowhere Boy": "O garoto de Liverpool" (2009)

Não chega a ser um título desastroso, mas não deixa de ser engraçado como os tradutores brasileiros trataram de resumir a trajetória de John Lennon em uma só sentença. Enquanto a versão original se inspira na música “Nowhere Man” (“homem de lugar algum”, em tradução literal), do álbum Rubber Soul, dos Beatles, para expandir a imagem do roqueiro, a nossa versão trata de dar uma referência mais clara ao público: ele é aquele garoto da banda de Liverpool, lembra?

"Jack and Jill": "Cada Um Tem a Gêmea que Merece" (2011)

O filme estrelado por Adam Sandler é um desastre. O título em português talvez ajude o público a entender isso antes mesmo de assisti-lo.

"We're the Millers": "Família do Bagulho" (2013)

A versão em português do filme talvez ajude o público a dar risada com um título tão escrachado. Mas, convenhamos, você precisa estar bem no clima do "bagulho" para achar uma boa tradução...

"Meet The Parents": "Entrando numa Fria" (2000)

Mais uma tradução que não levou em conta a possibilidade de eventuais sequências. Definindo o ato de conhecer os pais da namorada como uma "fria", os tradutores precisaram improvisar nos filmes seguintes com os títulos bizarros "Entrando Numa Fria Maior Ainda" (2004) e "Entrando Numa Fria Maior Ainda com a Família" (2010).

"Blue Valentine": "Namorados Para Sempre" (2010)

A tradução para "Blue Valentine" (algo como "relacionamento triste") não era simples. Sem grandes ideias, os distribuidores brasileiros decidiram lançar o filme como "Namorados Para Sempre" justo no Dia dos Namorados. O resultado: até hoje gente desavisada dá o play no longa esperando um romance edificante e acaba se debulhando em lágrimas com uma história de término.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube