Artilheiro do Paulista, Gilberto evita pressão por titularidade

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Artilheiro do Campeonato Paulista com nove gols, o atacante Gilberto revelou que uma conversa com Rogério Ceni no final de 2016 foi fundamental para que continuasse no São Paulo e recebesse chances no time.

"Tive uma conversa com o Rogério no ano passado. Ele disse da importância de contratar um atacante de renome, e eu disse que a única coisa que queria era ficar e ser treinado por ele. Tivemos uma conversa sincera, e eu disse que gostaria de agarrar a oportunidade que ele me desse. Hoje sempre falamos que fizemos o certo. Eu por ter permanecido, e ele por ter apostado", disse em entrevista ao canal SporTV.

Apesar de ainda ser considerado reserva de Lucas Pratto, Gilberto evita fazer pressão pela titularidade. No último sábado (8), ele se destacou com dois gols na goleada sobre o Linense por 5 a 0, pela partida de volta das quartas de final do Campeonato Paulista. De acordo com o atacante, a ajuda é mútua e benéfica para o São Paulo.

"Sou um jogador importante para o clube e para o grupo. Sabemos que vamos precisar de todos os jogadores possíveis na temporada. O Lucas (Pratto) é o titular e vai continuar sendo até o dia em que o Rogério precisar me colocar, e eu vou ajudar também", disse.

"Sempre falo que ele (Pratto) é um cara gente boa, estou aprendendo com ele, e espero também ensinar as poucas coisas que sei. A gente vai trocando ideias para ajudar o São Paulo. E isso é importante porque ele é um jogador de seleção e espero um dia ter a felicidade de chegar na seleção", completou.

Sobre a possibilidade de fazer dupla com Pratto, Gilberto é mais cauteloso. Ele acredita que pode fazer bem o papel de jogador aberto pela ponta apenas por 45 minutos.

"Já joguei pelos lados, mas mudei bastante minha característica. Joguei um tempo no Internacional pelo lado, com o Damião como centroavante, mas fui me tornando cada vez mais centroavante. Hoje sou centroavante. Mas, claro, se o Rogério falar que precisa de mim jogando pelo lado, farei com maior orgulho para ajudar ele e o time. Ele vai saber que não vou poder jogar 90 minutos no mesmo ritmo que joga um ponta, até porque são características diferentes. Mas 45 minutos dá para fazer em alto nível", avaliou.

"O Rogério sabe do que precisa para cada jogo, quando ele quiser contar comigo e Pratto no jogo, pode contar. Ele (Pratto) é um cara sensacional, jogador inteligente e vou sempre procurar ajudar. E ele também vai me ajudar, e vamos conseguir fazer os gols juntos, isso se o Rogério precisar um dia", completou.