Artilheira, Dany Helena destaca ano, mas exalta coletivo do Flamengo

Luiza Sá
LANCE!
Dany Helena é a artilheira isolada do Brasileirão Feminino (Foto: Staff Images/Flamengo)

Artilheira do Brasileiro Feminino, Dany Helena fala em 'luta por mais visibilidade e valorização'

Dany Helena é a artilheira isolada do Brasileirão Feminino (Foto: Staff Images/Flamengo)


Depois de quebrar a invencibilidade do Corinthians no jogo de ida e vencer por 2 a 1, o Flamengo visita as adversárias nesta quinta-feira, pelo jogo de volta da semifinal da Copa do Brasil. A partida acontece no Parque São Jorge às 20h30 (de Brasília) e terá torcida única. Se no elenco masculino do Rubro-Negro os centroavantes ainda são um grande problema, no feminino a figura é outra. A atacante Dany Helena vive grande fase, é artilheira do time na temporada, com 15 gols, e marcou uma vez no confronto na Gávea. No entanto, ela destacou o coletivo como força para o embate.

- Fico muito feliz por fazer gols e ajudar a equipe, mas fico mais feliz ainda pelo desempenho em conjunto que estamos conseguindo ter. Acredito que o diferencial seja esse. Temos um time muito coletivo. Não importa quem faz o gol, mas o desempenho da equipe. Estou em um ano muito bom, mas quero as vitórias e a classificação - disse ao LANCE!, analisando ainda o confronto de volta.

- Sabemos que será um jogo difícil, ainda mais em São Paulo, na casa delas. Vai ser complicado, mas treinamos muito durante a semana e principalmente o ano todo para encarar duelos como esse. Espero que possamos chegar bem preparadas para conquistar a classificação - completou.



Natural de Brasília, Dany, de 26 anos, chegou a ser professora de Educação Física. Mesmo sem se dedicar inteiramente ao futebol, foi vice-líder na artilharia da Copa do Brasil feminina de 2016, com nove gols, levando o time CRESSPOM, à terceira colocação da competição. Sobre suas inspirações, a atacante mostra carinho por Marta, mas tem outra referência.

- Não tem o que dizer da Marta, é seis vezes a melhor do mundo. É indescritível o que ela faz dentro de campo. Mas, por ser atacante, me espelho mais na Cristiane, que é uma goleadora, artilheira, como eu, finalizadora, fica mais na aérea. Gosto muito da Marta, mas como inspiração tenho mais a Cristiane - falou.

No último fim de semana, o Flamengo faria sua estreia no Campeonato Carioca. Porém, por falta de ambulância no estádio da Liga Rio das Ostras, o Fla acabou levando a vitória por W.O. Apesar dos episódios que mostram a falta de investimento no futebol feminino, a atleta ainda vê o lado bom do momento atual.

- O futebol feminino vem crescendo cada vez mais. Com essa medida de que os times precisam ter um time feminino a visibilidade aumenta. Até porque poucas equipes vinham apoiando a modalidade. O Flamengo é um dos poucos times que apoia. Fico feliz que a visibilidade esteja crescendo e pela oportunidade de jogar em um clube grande assim - analisou, completando ainda com suas ambições na carreira.

- Meus sonhos no futebol são conquistar títulos, ainda mais pelo Flamengo, fomos campeãs do mundial militar esse ano e já fiquei muito feliz com o feito. Espero ser campeã brasileira, que é o sonho de qualquer atleta, e, claro, vestir a camisa da Seleção. Trabalhamos duro para isso e espero ter essa oportunidade um dia - finalizou.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também