Artilharia, entrega e 'pé na área': por que Timão hoje é Romero e mais dez

Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro

Ángel Romero tem apenas um gol marcado e uma assistência realizada em 17 jogos com a camisa do Corinthians na temporada, condição que faz do paraguaio um dos nomes favoritos de parte da torcida alvinegra na hora das críticas. Apesar da desconfiança de alguns, para o técnico Fabio Carille não há dúvidas: o camisa 11 faz parte da escalação considerada ideal do Timão em 2017 e possui virtudes que não ameaçam seu atual status.

Além da raça e da boa presença de área, o técnico do Corinthians tem um argumento forte em defesa de Romero, que é a artilharia da história da Arena de Itaquera, com 17 gols marcados - Jadson, o perseguidor mais direto soma 15. Neste domingo, às 16h, o Timão volta ao seu estádio para receber o Botafogo no jogo de volta das quartas de final do Campeonato Paulista. Nova oportunidade para o paraguaio aumentar suas estatísticas e provar seu valor.

- Ele é um jogador que pisa a área, maior artilheiro da Arena no momento, cumpre função e a torcida gosta porque se dedica, não desiste de nenhuma bola, como era o Jorge Henrique. Estamos muito satisfeitos com o que ele vem fazendo. Ele foi fundamental no jogo contra o Palmeiras, tivemos de tirar no fim porque ele não aguentava mais. Ele é muito importante, essa entrega a gente tem que valorizar - elogia Carille, que tem utilizado o paraguaio na ponta esquerda.

Em 2016, Romero foi o principal artilheiro do Corinthians com 15 gols marcados e ainda contribuiu à equipe com sete assistências. Nesta temporada os números são um pouco mais discretos: apenas um gol, contra o Linense, e uma assistência, ainda na Florida Cup. O camisa 11 participou de 17 partidas na temporada, sendo 12 como titular. Na história, soma 118 participações e 21 gols com a camisa alvinegra. Ele foi contratado em 2014 e tem vínculo até julho de 2019.





E MAIS: