Artilheiro na Suíça, Arthur Cabral lamenta ostracismo no Palmeiras

Yahoo Esportes
Arthur Cabral tem feito sucesso na Suíça (TF-Images/Getty Images)
Arthur Cabral tem feito sucesso na Suíça (TF-Images/Getty Images)

Por Afonso Ribeiro (@afonsoribeiro_)

A vida de Arthur Cabral se transformou em cinco meses. Após boa parte de 2019 – o primeiro ano na nova casa – sem chances no Palmeiras, o atacante de 21 anos decidiu se transferir para a Suíça e defender as cores do Basel. A experiência na Europa tem sido bem sucedida, com a vice-artilharia da equipe na temporada, e o faz sonhar com oportunidades maiores no Velho Continente em breve.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM
SIGA O YAHOO ESPORTES NO FLIPBOARD

Paraibano, Arthur ganhou espaço no time profissional do Ceará em 2017, na campanha do acesso da Série B, com quatro gols em 16 jogos. O ápice, porém, foi no ano seguinte: balançou as redes 11 vezes na campanha do bicampeonato estadual, cinco na Copa do Nordeste e outras sete no Campeonato Brasileiro, em que a equipe reagiu sob o comando de Lisca e escapou do rebaixamento.

Leia também:

"Realmente, eu tenho uma ligação muito grande lá com o Ceará, tanto com o Estado como com o clube. Foram quatro anos lá, meu primeiro clube de base e profissional. Eu virei ídolo lá, então a ligação é realmente muito grande. Eu continuo acompanhando eles, sim. Sempre tento assistir aos jogos. Às vezes não dá porque o jogo começa 21h e aqui já são 2h ou 3h, e treinamos sempre de manhã, então não dá para assistir sempre, mas quando é no período da tarde eu tento assistir", revelou o camisa 98 do time suíço em entrevista exclusiva ao Yahoo Esportes.

Os números e o desempenho do jovem atacante, que tem porte físico típico de centroavante, despertaram a atenção de equipes nacionais e internacionais. O Palmeiras se adiantou e fechou, ainda no primeiro semestre de 2018, a compra de 50% dos direitos econômicos por R$ 5 milhões – a outra metade ainda pertence ao Vovô, em composição com os empresários do atleta.

Arthur Cabral não escondia a empolgação por vestir a camisa do então campeão brasileiro e ser comandado pelo pentacampeão mundial Luiz Felipe Scolari. A realidade, entretanto, foi dura. Diante da forte concorrência na posição – Deyverson, Borja e, posteriormente, Luiz Adriano e Henrique Dourado –, atuou somente cinco vezes pelo Alviverde e marcou um gol, no empate em 1 a 1 com o Novorizontino, pelo Campeonato Paulista. 

"Esperava, sim, mais oportunidades. Acho muito difícil você avaliar um jogador por um jogo só ou quando entra apenas no segundo tempo sem ter uma sequência de quatro ou cinco jogos, tanto como titular ou entrando no segundo tempo mesmo. Eu não tive isso, mas não me arrependo. Sempre tento tirar o máximo dessas experiências como aprendizado e foi um período de muito aprendizado mesmo. Evoluí muito e aprendi muita coisa. Treinei com uns caras muito 'feras', trabalhei com o Felipão, então para mim foi um tempo que vai servir muito para o resto da minha carreira", avaliou.

Arthur Cabral aplaudindo a torcida após jogo da Liga Europa (TF-Images/Getty Images)
Arthur Cabral aplaudindo a torcida após jogo da Liga Europa (TF-Images/Getty Images)

Das cinco partidas, foi titular apenas em duas e jogou os 90 minutos no 1 a 1 com o Vasco, no Allianz Parque. Após o duelo diante do time carioca, Felipão criticou a compreensão tática do atacante. Em paralelo, o estafe do jogador recebia sondagens de outros clubes – do próprio Cruzmaltino e do Ceará, por exemplo – e estudava uma transferência.

"Eu estou sempre evoluindo, sempre aprendendo tanto taticamente quanto tecnicamente. Foi algo que ele entendeu e pensava, mas respeito ele, a história dele, e vou procurar sempre aprender com pessoas assim", desconversou o atacante sobre as críticas do ex-comandante.

No final de agosto, então, surgiu a oferta de empréstimo do Basel, com cláusula de obrigação de compra de 70% dos direitos econômicos por 4,5 milhões de euros (em torno de R$ 21 milhões) ao final da temporada 2019/2020 em caso de 12 gols marcados, segundo o jornal O Povo.

Animado com a oportunidade, Arthur rumou para a Europa e, apesar do frio e da distância de familiares, não demorou a corresponder dentro de campo. Em 18 partidas, entre Super Liga da Suíça, copa nacional e Liga Europa, balançou as redes oito vezes antes de sofrer lesão no joelho e já está próximo de atingir a meta prevista em contrato.

"Quando você vai para um ambiente totalmente novo, um ambiente diferente, você tem um pouco de receio e de medo, pensa ‘será que vou conseguir me adaptar?’. Passavam muitas dúvidas pela cabeça, mas sempre confiante no meu futebol, que eu tenho futebol para chegar longe, e assim foi feito. Estou tendo um bom começo, estou conseguindo mostrar meu futebol", ponderou.

"Eu busco bater as metas. Metas são feitas para serem batidas e o meu pensamento está aqui, quero evoluir a cada dia, melhorar meu futebol e absorver ao máximo o que eu tiver pra aprender aqui. Porque eu almejo coisas grandes, então busco ao máximo aprender para um dia realizar todos meus objetivos e sonhos", frisou.

Chance na seleção olímpica

Dias antes de deixar o Verdão rumo ao Basel, Arthur Cabral foi convocado pelo técnico André Jardine para dois amistosos da seleção olímpica, contra Colômbia e Chile, em São Paulo. O atacante entrou no decorrer do triunfo por 3 a 1 sobre os chilenos, no Pacaembu.

O centroavante de 21 anos ficou fora do Torneio Pré-Olímpico, disputado na Colômbia desde o último dia 19, mas ainda se vê na briga por posição com Matheus Cunha e Yuri Alberto e sonha com vaga nos Jogos Olímpicos deste ano, em Tóquio, no Japão.

"Fui convocado, creio que mais pelo que eu fiz pelo Ceará, e foi uma alegria muito grande depois de passar por momentos difíceis no Palmeiras, por não estar jogando. Ter sido convocado pra mim foi muito bom, minha família se emocionou e eu me emocionei. Não posso falar pelos outros, mas, da minha parte, é um sonho vestir a camisa da seleção brasileira, eu penso sempre em estar na seleção. Desejo ser convocado de novo e talvez estar na Seleção que vai disputar as Olimpíadas. Trabalho para isso, pensando em vestir a amarelinha com mais frequência", confessou.

Futuro no Velho Continente

O bom desempenho nos primeiros meses de Europa anima Arthur Cabral para a sequência da carreira. De acordo com o periódico cearense O Povo, o Basel já recebeu sondagens de três clubes interessados no atacante – entre eles, o Saint-Etiénne, da França. Mas o grande sonho do camisa 98 é atuar na Inglaterra.

"Tenho o sonho de ir para a Premier League, quem sabe? Tem também a Liga Espanhola, Liga Alemã, e aqui estou muito perto disso. Mas, primeiro, penso em fazer meu nome aqui no Basel, fui muito recebido, bem acolhido. Então quero mostrar meu futebol, conquistar títulos e bater todas as metas, para aí sim pensar no futuro", ponderou Arthur.

Siga o Yahoo Esportes

Twitter | Flipboard | Facebook | Spotify | iTunes | Playerhunter

Leia também