Arsenal gasta mais que PSG, mas reforços decepcionam e pressão em Edu cresce

·3 minuto de leitura
Técnico Mikel Arteta e diretor Edu posam com Ben White, principal reforço do Arsenal para a temporada (Foto: Stuart MacFarlane/Arsenal FC via Getty Images)
Técnico Mikel Arteta e diretor Edu posam com Ben White, principal reforço do Arsenal para a temporada (Foto: Stuart MacFarlane/Arsenal FC via Getty Images)

LONDRES (INGLATERRA) - Em uma janela de transferências histórica no mundo da bola, com Lionel Messi chegando ao PSG e Cristiano Ronaldo de volta ao Manchester United, é difícil imaginar que o clube que mais gastou dinheiro neste período foi o Arsenal. Liderados por Edu Gaspar, os Gunners gastaram aproximadamente 150 milhões de libras (R$ 1 bilhão) em seis jogadores, mas nenhum deles capaz, ao menos no curto prazo, de mudar o patamar da equipe londrina - atual lanterna do Campeonato Inglês.

Após fracassar com contratações de medalhões no passado recente, como com os brasileiros Willian e David Luiz, o Arsenal voltou a apostar em jovens jogadores de olho no futuro da equipe, pensando a longo prazo, mas decepcionando os torcedores, que esperam uma mudança de postura imediata do clube que hoje não só é o último colocado da Premier League, com três derrotas em três jogos, como também ainda não marcou nenhum gol - tendo sofrido nove.

Leia também:

A contratação mais cara foi Ben White, zagueiro vindo do Brighton. O Arsenal desembolsou nada menos que 52 milhões de libras (R$ 370 milhões) pelo jovem inglês de 23 anos. Apenas como comparação, o Manchester United gastou pouco mais que a metade desse valor para contar com Raphael Varane, zagueiro consolidado, multicampeão pelo Real Madrid e seleção francesa.

Em termos de desempenho dentro de campo, talvez a que tenha sido a mais importante seja a de Martin Ødegaard. No entanto, apesar de ser considerado um reforço, a eterna promessa norueguesa do Real Madrid já estava no clube na temporada passada, por empréstimo. Agora, os Gunners fizeram um negócio definitivo com os merengues, pagando 31,5 milhões de libras (R$ 225 milhões).

Os outros quatro nomes são: Aaron Ramsdale, goleiro inglês do Sheffield United, Takehiro Tomiyasu, zagueiro japonês do Bologna, Albert Sambi Lokonga, zagueiro belga do Anderlecht, e Nuno Tavares, lateral-esquerdo português do Benfica.

Entre os clubes que mais gastaram, o Arsenal fica na frente de Manchester United, que trouxe nomes de peso como Jadon Sancho e Cristiano Ronaldo, além de Varane, e Chelsea, com Romelu Lukaku e Saúl.

A comparação com o Paris Saint-Germain, comandado por Leonardo, é ainda mais desleal, já que o brasileiro agiu com maestria no mercado para trazer jogadores consolidados em fim de contrato, ou seja, a custo zero, como Sergio Ramos, Donnarumma e Wijnaldum, além de Messi. O clube francês gastou apenas 74 milhões de libras (R$ 530 milhões) nas contratações de Achraf Hakimi, Nuno Mendes e Danilo Pereira, que foi adquirido em definitivo.

Maiores reforços são na folha salarial

Apesar de contratações – e gastos – contestados, duas saídas são comemoradas como reforços pela torcida: os brasileiros Willian e David Luiz.

O meia-atacante, que assinou com o Corinthians nesta semana, era dono de um dos maiores salários da Inglaterra, 220 mil libras por semana, aproximadamente seis milhões de reais por mês, e ainda tinha dois anos de contrato pela frente. Já o zagueiro, sem clube até o momento, ganhava 120 mil libras semanalmente, e tinha mais um ano de vínculo no Emirates Stadium.

Edu Gaspar pressionado

Contratado em 2019, Edu vive um dos seus piores momentos como diretor do Arsenal. Além da situação na atual tabela, pesa o fato de a equipe não ter sequer conseguido uma vaga em competições continentais na temporada passada - terminou em oitavo no Campeonato Inglês, e o montante de dinheiro gasto por ele neste curto período - 370 milhões de libras (R$ 2,6 bilhões).

Além dos frequentes pedidos de torcedores nas redes sociais para que o clube demita o brasileiro, a imprensa inglesa já aumenta as críticas e, consequentemente, a pressão sobre o brasileiro. Marc Overmars, holandês ex-jogador do Arsenal, já aparece como um dos favoritos para o lugar de Edu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos