Arsenal busca milagre em possível último jogo de Champions de Wenger no Emirates

Por Maxime MAMET
O técnico Arsène Wenger, no centro de treinamento do Arsenal

Arsène Wenger precisa de um milagre: o reino do técnico do Arsenal, com maus resultados na Premier League, parece se aproximar do fim, na véspera do que pode ser a eliminação da equipe nas oitavas de final da Champions contra o Bayern de Munique, depois da goleada (5-1) sofrida na ida.

Após o desastre na Alemanha, o Arsenal deixou o top 4 da Premier League ao perder fora de casa para o Liverpool (3-1), depois de ter deixado Alexis Sánchez no banco. A crise não para de se agravar para Wenger, que tem contrato até junho, após 21 anos no clube londrino.

No campeonato, o Arsenal perdeu três de seus quatro últimos jogos, perdendo para o líder Chelsea no início de fevereiro (3-1) e Liverpool no último fim de semana. Derrotas que despertaram as críticas, diante de mais uma temporada sem título e outra eliminação prematura no cenário europeu.

"O Arsenal se afastou das elites europeias como nunca antes. Isso poderia ser verdadeiramente feio a partir de agora", escreveu o jornal The Times em meados de fevereiro, após a derrota na Alemanha.

A derrota para o Liverpool parece dar razão ao jornal, principalmente agora que os Gunners saíram da zona de classificação à Liga dos Campeões. Atualmente, o clube defende uma sequência de 19 participações seguidas na competição continental.

O crédito de Wenger (67 anos) foi ferido pela decisão de não escalar Sánchez no ataque contra o Liverpool, preterido por Olivier Giroud. "Foi para fazer um jogo mais direto", justificou o técnico.

O The Sun on Sunday criticou duramente a decisão tática.

Sánchez irritado

Segundo revelações do Telegraph, Alexis Sánchez teria sido deixado no banco após uma briga com um companheiro durante a semana.

Após mostrar sinais de frustração em algumas partidas recentes, o chileno, com contrato com o Arsenal até o fim da próxima temporada e em plana negociação de ampliação do vínculo, teria deixado o campo durante um treino antes dos outros jogadores, criando um ambiente ruim no clube.

Wenger não teria gostado da atitude de Sánchez, segundo a imprensa inglesa, algo que o técnico classificou nesta segunda-feira de "totalmente falso".

Devido a esse suposto incidente, Sánchez foi reserva em Anfield, afirma a imprensa.

O problema é que os londrinos não mostraram seu melhor futebol até a entrada do chileno. O placar, porém, já estava 2 a 0 a favor do Liverpool.

"Não deixem que o a boa apresentação do segundo tempo engane vocês. Assistimos ao final do jogo", declarou o Mirror, para quem o trabalho de Wenger "tende agora ao ordinário".

Os resultados recentes do Arsenal não ajudam o torcedor a acreditar em um milagre no Emirates Stadium, palco do duro confronto contra o Bayern, nesta terça-feira.

"Talvez Wenger tenha perdido a confiança de seus jogadores, assim como (Claudio) Ranieri. Ou simplesmente não são bons o suficiente", afirmou o Mirror.

Como muitos veículos da imprensa inglesa, o tabloide culpa uma equipe sem força mental, que monopoliza a bola sem ter "a menor ideia do que fazer com ela".

Após o 5 a 1 sofrido na Allianz Arena de Munique, o jornal não se mostra otimista com a partida de volta: "Quem sabe que nova afronta teremos nesta terça-feira na Liga dos Campeões?".

Wenger garantiu que treinará um clube na próxima temproada. Se não realizar um verdadeiro milagre contra o forte Bayern de Munique, este clube certamente não será o Arsenal.

- Prováveis escalações:

Arsenal: Cech - Bellerin, Koscielny, Mertesacker, Monreal - Oxlade-Chamberlain, Coquelin, Xhaka - Iwoby, Sanchez, Welbeck.

Técnico: Arsène Wenger

Bayern Munich: Neuer - Rafinha, Martínez, Hummels, Alaba - Alonso, Vidal - Robben, Thiago, Ribéry - Lewandowski.

Técnico: Carlo Ancelotti

Árbitro: Tasos Sidiropoulos (GRE)

Leia também