Arrascaeta x Piquerez: unidos por raízes uruguaias, separados por uma final de Libertadores

·2 min de leitura



Palmeiras e Flamengo disputam a final da Copa Libertadores no próximo sábado, que será realizada no Estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai. Cada time tem seu jogador "da casa": lado alviverde tem Piquerez, e o lado rubro-negro tem Arrascaeta. Em lados opostos dessa decisão continental histórica, eles têm muito mais em comum do que somente a nacionalidade.

A ligação dos dois começa nas categorias de base, mas não por terem jogado juntos, já que são quatro anos de diferença entre eles, mas por terem sido revelados pelo mesmo clube: o Defensor, de Montevidéu. Ambos passaram pelas mãos do técnico Heber Silva Cantera. Segundo o profissional, foi ele que transformou o palmeirense, que jogava de volante, em um lateral-esquerdo.

- Eu conheço bastante o Piquerez e desejo o melhor para ele. Afinal, vimos ele ‘nascer’ para o futebol aqui. Nós o fizemos lateral, ele não era lateral. Eu trabalho nessa parte defensiva, lhe ensinava como marcar - relatou Cantera.

Quando Arrascaeta já se destacava pela equipe principal, Piquerez estava conquistando seu espaço nas categorias inferiores e fazia as vezes de gandula nos jogos. Eles também não chegaram a se encontrar no profissional, o lateral estreou no time de cima em 2017, quando o meia já brilhava pelo Cruzeiro.

Os dois somente foram dividir um gramado em setembro deste ano, em jogos pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022. Foram três partidas: Peru, Bolívia e Equador. Isso porque ambos têm sido presenças constantes nas convocações da seleção uruguaia. Recentemente, por conta de lesão, Arrascaeta não tem sido parte do grupo relacionado para as partidas.

Além dessas trajetórias cruzadas, Arrascaeta e Piquerez têm algo em comum muito mais profundo do que base, seleção uruguaia e nacionalidade: ambos são torcedores do Peñarol, o que no Uruguai é uma religião. A diferença é que o lateral já jogou em seu clube do coração, de onde foi comprado pelo Palmeiras. Enquanto isso o meia ainda não teve essa oportunidade.

- O Flamengo tem o Arrascaeta, que não jogou aqui, mas é torcedor do Peñarol desde que nasceu e disse que quer jogar aqui um dia. Esperamos que isso aconteça, porque é um jogador de nível muito alto - disse Jorge Nirenberg, diretor de futebol do Peñarol, em contato com o LANCE!.

Neste sábado, às 17h, a dupla estará em lados opostos para buscar o título mais cobiçado do continente, naquela que talvez seja a maior e mais esperada decisão brasileira na história recente. Tudo isso "na casa" de Arrascaeta e Piquerez, que vão defender suas cores e deixarão as semelhanças de lado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos