Arrascaeta cairia bem em muitos clubes da Europa, mas meia não precisa provar nada

Antonio Mota
·2 minuto de leitura

O meio-campista Giorgian de Arrascaeta se tornou o ponto central de um debate fervoroso na internet nos últimos dias. Ídolo do Flamengo e nome comum na Seleção do Uruguai, o camisa 14 foi avaliado por internautas, jornalistas e outras pessoas do mundo da bola por ser um jogador de muito destaque no Brasil, mas que nunca despertou até nem da “periferia da Europa”, como afirmou o comentarista Fábio Sormani. E vários foram os que concordaram e descordaram.

"O torcedor do Flamengo acha o Arrascaeta o novo Tostão. Você vai no Rio e fala que ele é o melhor jogador do planeta e vão achar que é verdade. É o coração se manifestando. Arrascaeta é muito bom, mas não é o jogador que a torcida do Flamengo acha que ele é”, iniciou o comentarista, antes de completar:

Ele não se firmou até agora na Seleção do Uruguai. Tem 25 anos [26, na verdade] e nunca despertou interesse nem da periferia da Europa. Que jogador é esse, então? Ele é tudo isso? Isso é um mundo Flamenguista que acha isso”, completou Sormani.

Arrascaeta é muito acima da média. E bom para o Flamengo que consegue mantê-lo. | Wagner Meier/Getty Images
Arrascaeta é muito acima da média. E bom para o Flamengo que consegue mantê-lo. | Wagner Meier/Getty Images

“Que jogador é esse?”, questionou o comentarista. Arrascaeta é um excepcional jogador, com uma visão de jogo espetacular, muita frieza e muito talento para pensar o futebol. Sem falar em outras características (finalização, passe, inteligência, noção de espaço etc.) e no conjunto técnico e tática que o faz ser muito acima da média no Brasil e uma ótima opção para vários clubes do mundo, incluindo da Europa.

E aí vem outro questionamento: por qual motivo Arrascaeta precisaria se provar no Velho Continente? É curioso ver uma visão eurocentrista em um mesmo grupo que idolatra uma série de jogadores que não deram certo do outro lado do mundo – Marcelo Carioca, Vampeta, Viola e Ricardinho, por exemplo. Sem nenhuma comparação dos nomes citados com o camisa 14 do Flamengo, óbvio.

Arrascaeta é um baita jogador e conseguiria se dar bem na Europa, provavelmente não em um clube de elite, mas em um “patamar” bastante aceitável. O meia do Uruguai, porém, não precisa provar nada. E o Flamengo agradece e celebra o maior jogador estrangeiro de sua história.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique aqui.