Argentina vence a Colômbia nos pênaltis e vai enfrentar o Brasil na final da Copa América-2021

·5 minuto de leitura

A Argentina se classificou nesta terça-feira para a final da Copa América-2021 contra o Brasil, ao vencer a Colômbia nos pênaltis (3-2) depois de empatar em 1 a 1 nos 90 minutos, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, pelas semifinais do torneio sul-americano.

Agora, a 'Albiceleste' vai buscar no sábado, no Maracanã, encerrar um incômodo jejum de 28 anos sem títulos e realizar o sonho de Lionel Messi de conquistar seu primeiro troféu com sua seleção.

Lautaro Martínez abriu o placar para a Argentina logo aos 6 minutos, após receber um passe de Messi. Luis Díaz, no segundo tempo, empatou para os 'cafeteros' (60).

Nos pênaltis, Messi, Leandro Paredes, Lautaro Martínez converteram suas cobranças enquanto o goleiro Emiliano Martínez defendeu os chutes de Davinson Sánchez, Yerry Mina e Edwin Cardona.

"Ficamos na frente do placar rapidamente, mas eles fizeram um grande jogo, deram tudo o que podiam. A Colômbia realmente fez um bom segundo tempo, tivemos algumas chances para fazer 2 a 1 e liquidar o jogo, mas eles nos levaram aos pênaltis, onde são muito fortes, mas é uma questão de sorte e hoje foi a minha vez de ser glorioso", comemorou o goleiro, que joga no Aston Villa, após a partida.

Em coletiva de imprensa virtual o técnico da seleção argentina Lionel Scaloni elogiou sua equipe: "Normalmente quem joga a final é quem a merece, e acredito que a Argentina é um vencedor justo e um finalista justo".

"Vamos jogar uma final contra nosso eterno rival, nosso rival de longa data, os dois times mais poderosos da América do Sul e esperamos que (...) seja um bom jogo. Obviamente queremos vencê-lo", acrescentou.

Já o técnico colombiano Reinaldo Rueda disse em sua coletiva que desta vez a sorte "não favoreceu" a Colômbia, que havia derrotado o Uruguai nos pênaltis nas quartas de final.

O treinador disse que esta participação na Copa América "nos convida a sonhar, a pensar que estamos no caminho certo".

- Assistência de Messi, gol de Lautaro -

Scaloni fez nesta terça algumas mudanças em relação ao jogo anterior de sábado pelas quartas de final contra o Equador (3-0).

Messi voltou a integrar a linha ofensiva, ao lado de Lautaro Martínez e Nicolás González enquanto o meio teve Guido Rodríguez em vez de Leandro Paredes no centro.

Na defesa, Romero não conseguiu se recuperar de uma lesão no joelho e Pezzella voltou a ocupar a zaga, que teve outra mudança, com Tagliafico no lugar de Marcos Acuña.

Já a Colômbia voltou a contar com seu astro Juan Guillermo Cuadrado, que havia cumprido suspensão nas quartas de final, contra o Uruguai.

A Argentina deu seu recado logo no início do jogo. Aos 6 minutos, Lo Celso deu um passe preciso para Messi dentro da área. O astro venceu a disputa com Mina, girou e tocou para Lautaro, que mandou para as redes abrindo o placar.

Mas a Colômbia não se deixou abater e respondeu um minuto depois. Luis Díaz avançou pela esquerda e cruzou rasteiro na área. Cuadrado recebeu e chutou de pé esquerdo para a boa defesa de Martínez.

O mesmo Juan Cuadrado cobrou uma falta aos 27 minutos mas a bola subiu demais.

O bombardeio colombiano se intensificou pouco depois. Luis Díaz correu pela esquerda até a linha de fundo e cruzou. Otamendi tentou afastar, mas a bola sobrou para Barrios que chutou de primeira, da entrada da área. A bola desviou em Lo Celso, bateu na trave e foi para fora.

Um minuto depois, novo susto. Cuadrado cobrou escanteio e Mina subiu para cabecear. A bola bateu no travessão e foi para fora.

A Argentina respondeu em um escanteio cobrado por Messi. González cabeceou e Ospina fez uma boa defesa (43).

- Quem não faz leva -

Os argentinos levaram a vantagem para o intervalo e voltaram mais fechados atrás, tentando administrar o resultado. E acabou pagando o preço por essa atitude.

Aos 15 minutos, Díaz recebeu um lançamento de Cardona na esquerda, conseguiu se livrar da marcação de Pezzella e tocou na saída de Martínez, deixando tudo igual.

Precisando da vitória, Scaloni mexeu na equipe. Aos 21 minutos do segundo tempo, Di Maria entrou no lugar de González e trouxe mais criatividade ao ataque da Argentina.

E já aos 25, o atacante do PSG recebeu na direita, se livrou de marcadores colombianos e chutou de pé esquerdo para a defesa de Ospina.

Dois minutos depois Di Maria voltou a dar razão a aqueles que defendem sua titularidade na Albiceleste. O jogador aproveitou uma falha de Muñoz, avançou livre, driblou Ospina e tocou para Lautaro.

Com o gol aberto, o atacante se afobou e, inacreditavelmente, chutou em cima de Barrios, que salvou a Colômbia. A bola ainda sobrou para Di Maria que acabou chutando para fora.

O drama argentino continuou, assim como o medo de reviver o trauma das Copa América de 2015 e 2016, quando perdeu o título nas duas edições em disputas por pênaltis para o Chile.

Aos 35 minutos, Di Maria voltou a se destacar e tocou para Messi na área. O craque se livrou dos marcadores e disparou na trave. No rebote, Lautaro chutou em cima de Sánchez.

- Martínez, o herói -

Depois de tantas tentativas, veio o suspense dos pênaltis.

Cuadrado cobrou primeiro e fez 1 a 0 para a Colômbia. Logo em seguida, Messi chamou a responsabilidade para si e empatou.

Para a alegria dos argentinos, o goleiro Emiliano Martínez esbanjou auto confiança no duelo psicológico com os cobradores e se tornou o herói da noite.

Ele defendeu o segundo chute da Colômbia, de Davinson Sánchez. Para aumentar o drama, De Paul também perdeu para a Argentina, chutando alto demais.

Mas Martínez voltou a brilhar e defendeu as cobranças de Mina e Cardona levando os demais jogadores ao delírio e à grande final diante do Brasil.

"Dissemos isso no primeiro dia: 'queremos jogar a final' e nada melhor do que jogar com o Brasil em seu campo", vibrou o goleiro após a classificação.

mls/ol/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos