Argentina está mentalmente bem para jogar de igual para igual contra todos, garante Scaloni

·2 minuto de leitura
O técnico da Argentina, Lionel Scaloni, assiste ao jogo contra a Bolívia no encerramento da fase de grupos da Copa América em 28 de junho de 2021 em Cuiabá

A Argentina está pronta para jogar de igual para igual com todos, disse nesta segunda-feira o técnico da Albiceleste, Lionel Scaloni, ao analisar a vitória por 4 a 1 sobre a Bolívia no encerramento da fase de grupos da Copa América 2021, e elogiou o Equador, seu adversário nas quartas de final.

"Estamos satisfeitos com a partida disputada e com o desempenho de todos os jogadores. A ideia era gerar muitas situações de gol com nossos homens de frente e no final foi isso que aconteceu", disse Scaloni em entrevista coletiva virtual na Arena Pantanal em Cuiabá.

Alejandro 'Papu' Gómez, aos 6 minutos, Lionel Messi (aos 33 de pênalti e aos 42) e Lautaro Martínez (65) marcaram os gols argentinos. Erwin Saavedra, aos 60, diminuiu para 'La Verde'.

Com a vitória, a Argentina terminou em primeiro lugar no Grupo A com 10 pontos e enfrentará o Equador, no sábado, em Goiânia, valendo uma vaga nas semifinais.

"A Argentina está mentalmente bem para jogar de igual para igual com todos. Pelo Equador temos o maior respeito, não só porque todos os adversários são difíceis, mas porque provou ser um time bom, jovem, dinâmico, com bons jogadores, que vai batalhar", considerou o treinador.

Scaloni, no comando da seleção principal desde novembro de 2018, após uma breve fase como interino depois da Copa do Mundo na Rússia, destacou o jogo coletivo da equipe e a capacidade que teve para vencer o Grupo A.

"Se eu fizer um balanço da primeira fase, é positivo porque jogamos com adversários muito fortes que, sem desmerecer o outro grupo, são rivais históricos e muito difíceis", disse ele.

A Argentina estreou com um empate em 1 a 1 com o Chile e depois conquistou vitórias consecutivas contra o Uruguai (1 a 0), Paraguai (1 a 0) e Bolívia (4 a 1).

"A equipa sempre mostrou a sua cara, foi protagonista, e como vimos nestes jogos os adversários também jogam, nem sempre é preciso atacar excessivamente, e essa mensagem é clara para os jogadores", destacou.

O treinador evitou falar sobre o destino da Albiceleste no torneio, do qual foi campeão pela última vez na longínqua edição do Equador-1993.

"A Argentina está aqui para jogar todas as partidas da mesma forma e não prometer mais do que isso. Vamos jogar partida a partida e o próximo desafio é vencer o Equador", disse.

cl/ma/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos