Argentina e Paraguai empatam (1-1) em Buenos Aires pelas Eliminatórias Sul-Americanas

·3 minuto de leitura
A Argentina de Lionel Messi teve que se contentar com um empate em 1-1 em Buenos Aires com o Paraguai pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022
A Argentina de Lionel Messi teve que se contentar com um empate em 1-1 em Buenos Aires com o Paraguai pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022

A Argentina pulou temporariamente para o primeiro lugar nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo do Catar-2022 ao empatar em 1 a 1 com o Paraguai, que se mostrou disciplinado e aguerrido e colocou os anfitriões em apuros, em um jogo intenso disputado nesta quinta-feira em La Bombonera, em Buenos Aires.

Nesta partida válida pela terceira rodada, Ángel Romero abriu o placar com uma cobrança de pênalti aos 21 minutos. Mostrando categoria, ele enganou o goleiro Franco Armani e colocou a bola no cantinho com um chute rasteiro, após uma falta de Lucas Martínez Quarta em Miguel Almirón que havia penetrado em velocidade.

O empate veio aos 41 minutos, em um escanteio de Giovani Lo Celso que Nicolás González desviou no ângulo com uma forte cabeçada.

A Argentina lidera com 7 pontos e o Paraguai é o quarto com 5, mas três jogos ainda serão disputados nesta sexta-feira.

Na quarta rodada, o Paraguai vai enfrentar a Bolívia em Assunção enquanto a Argentina vai viajar para jogar contra o Peru em Lima.

- Surpresa paraguaia -

O 'Albiceleste' foi surpreendida pela 'Albirroja', aguerrida e experiente, que pisou no acelerador e marcou bem em todas as parte do campo onde um jogador argentino dominava a bola.

Ángel Cardozo Lucena, Mathías Villasanti e Gastón Giménez se projetavam com ousadia e mostrando entrosamento com Romero, Darío Lezcano e Almirón.

Quando a Argentina recuperava a posse de bola, faltava o elemento surpresa e o time esbarrou na sólida defesa paraguaia.

Messi tocava cada vez menos na bola. Às vezes triangulava com Lautaro Martínez, Leandro Paredes ou Exequiel Palacios antes de sair após receber um golpe de Romero.

Lucas Ocampos conseguiu abrir espaço em meio a forte marcação paraguaia. Mas quando a bola rondou a zona de perigo do goleiro Anthony Silva, três marcadores apareceram na defesa: Fabián Balbuena, Gustavo Gómez e Júnior Alonso.

Lo Celso, em vez de Palacios, se articulou em seguida com os jogadores do meio de campo. Mas o único que pareceu entender a incapacidade de penetrar na retranca paraguaia era Rodrigo De Paul, com chutes diretos de meia distância.

O duelo foi intenso apesar de poucas chances claras de gol.

Um momento polemico foi quando o árbitro brasileiro Raphael Claus e o VAR não viram um toque no braço de Nicolás Otamendi.

A Argentina lamentou quase em seguida a anulação de um gol de Messi, devido a uma jogada anterior em que González cometeu uma infração contra Romero.

- Di María entra -

O técnico argentino Lionel Scaloni embaralhou as cartas e jogou na mesa aquela que trouxe depois de muitos meses: Ángel Di María, no lugar de Ocampos.

O outro técnico argentino, Eduardo Berizzo, manteve as peças no lugar. Sua equipe lutou com coragem e classe, embora sem precisão no ataque, até que colocou em campo Hernán Pérez, Jorge Morel, Antonio Sanabria e Rodrigo Rojas.

Chutes de Lautaro Martínez, uma cobrança de falta de Messi no ângulo defendida por Silva e outras ações no cerco final à Argentina deram mais emoção ao jogo.

Messí começou a insistir em passar por toda a defesa paraguaia sozinho mas foi em vão.

Lucas Alario e Nico Domínguez entraram para criar outras opções ofensivas mas o placar não mudou mais.

dm/cl/aam