'Arame liso', lesões, substituições sem efeito: Fluminense volta a ser irregular e cai na Libertadores

·2 minuto de leitura


Nem o que deu certo para o Fluminense acabou se mostrando positivo de fato na eliminação após o empate em 1 a 1 com o Barcelona de Guayaquil (EQU). Na partida no Equador, o Tricolor começou melhor, mas sofreu com duas lesões que mudaram o rumo da partida, além de ter criado poucas chances de real perigo, apesar da posse de bola expressiva. Assim, a queda na Libertadores traduz a dificuldade da equipe em fazer boas atuações.

+ ATUAÇÕES: Com falhas, Fluminense tem muitas notas baixas em eliminação na Libertadores

A variação tática que vinha sendo fortemente pedida (e era uma necessidade) aconteceu mais uma vez e mudou a forma de o time se comportar. Com passes mais caprichados e uma movimentação interessante nos espaços, o Flu fez uma boa primeira etapa com o domínio em campo. No entanto, nem a mudança foi capaz de corrigir a falta de letalidade do ataque tricolor. Foram quatro chutes na direção nos 90 minutos, apesar dos 68% de posse.

Veja todos os confrontos da Libertadores

Se os problemas físicos já vem dando dor de cabeça, com Gabriel Teixeira e Caio Paulista fora, desta vez eles mataram qualquer possibilidade da equipe. Primeiro, aos 41 do primeiro tempo, Paulo Henrique Ganso sentiu o pulso ao apoiar no chão depois de uma bicicleta que foi o melhor lance do jogo. Depois, aos 17 da segunda etapa, foi a vez de Yago Felipe se lesionar. E foi neste momento que a equipe perdeu o meio-campo de vez, empolgando o Barcelona.

Barcelona de Guayaquil x Fluminense - Yago Felipe
Barcelona de Guayaquil x Fluminense - Yago Felipe

Yago se machucou no segundo tempo (Foto: Staff Images/CONMEBOL)

A pressão sobre o trabalho de Roger Machado se justifica. Apesar de chegar até as quartas de final da Libertadores e da Copa do Brasil - pela qual o Fluminense ainda entrará em campo, o treinador ainda encontra dificuldades para fazer o elenco render. Ao perder Yago, o time retornou para a formação que não vem funcionando. Em dia ruim de quem veio do banco, nem as mexidas deram esperança ao Tricolor.

Além das reposições, jogadores que costumam fazer a diferença também não tiveram uma boa noite de atuações individuais. No ataque, Fred perdeu o tempo das jogadas e errou passes para finalização. O meia Martinelli, que já não vinha tendo o desempenho de costume nas últimas partidas, deu oportunidades para o Barcelona contra-atacar. Egídio, geralmente auxiliar no setor ofensivo, contribuiu pouco. Por fim, Luccas Claro deu a condição para o gol adversário.

O Flu agora volta as forças para o Campeonato Brasileiro, onde soma quatro derrotas seguidas. Na segunda-feira, enfrenta o Atlético-MG, às 20h, em São Januário. Os mineiros são também os adversários da quinta-feira, quando o Tricolor abre a disputa das quartas de final da Copa do Brasil no Nilton Santos, às 21h30.

*Estagiária sob supervisão de Luiza Sá

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos