Copa: Arábia Saudita pede banimento de árbitro

AFP
O árbitro saudita Fahad al-Mirdasi em uma partida da Liga dos Campeões da Ásia em 18 outobro de 2016
O árbitro saudita Fahad al-Mirdasi em uma partida da Liga dos Campeões da Ásia em 18 outobro de 2016

O comitê de disciplina e ética da Federação Saudita de Futebol pediu o banimento do árbitro Fahad al-Mirdasi, acusado de corrupção, e recomendou sua exclusão da lista de selecionados para a Copa do Mundo da Rússia-2018.

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

O árbitro foi suspenso por ter solicitado suborno a um clube de seu país, de acordo com o um comunicado divulgado pelo comitê de disciplina.

Al-Mirdasi, de 32 anos, é um dos árbitros maior prestígio da Arábia Saudita. Passou a integrar o quadro da Fifa em 2011 e apitou partidas nos Jogos Olímpicos Rio-2016 e na Copa das Confederações em 2017.

Também estava selecionado para comandar a 'Kings Cup' da Arábia Saudita, entre os clubes Al-Faisaly e Al-Ittihad no fim de semana passado, mas foi substituído a poucas horas da partida.

No comunicado, o comitê de disciplina e ética da Federação Saudita afirma que Mirdasi procurou o presidente do Al-Ittihad para propor um suborno que permitisse a vitória da equipe.

"O presidente do Al-Ittihad, Hamad Al-Sanayeh, entrou em contato com a Federação para afirmar que tinha provas de que Fahad Al-Mirdasi havia estabelecido um contato via WhatsApp. Pediu uma quantia de dinheiro ilegal em troca de ajuda para que permitir a vitória da equipe", destacou o comitê.

Leia mais
Santos tem 2º prejuízo com jogos na Vila em três dias
Promessa do PR entra na mira de Corinthians, Atlético-PR e Flu
Ala do Flamengo defende Seedorf no clube

O caso foi enviado à Federação Saudita e depois à Autoridade Geral do Esporte, que abriu uma investigação administrativa.

De acordo com a nota, Mirdasi reconhece os atos e o comitê recomenda "sua exclusão pelo resto da vida de qualquer atividade relacionada com o futebol", além de sua retirada da lista de árbitros da Copa do Mundo, que deve começar em 14 de junho.

"Espero que a Federação Saudita, se tudo for comprovado, adote as medidas necessárias e leve o caso à Fifa, porque isto não representa o Reino (da Arábia Saudita)", declarou Turki Al-Sheikh, presidente da Autoridade Geral do Esporte, antes do anúncio do comitê.

A Fifa solicitou mais informações à Federação Saudita e está a par da decisão das autoridades do país.

Outro saudita, Abdallah al-Shalwai, foi selecionado como árbitro auxiliar para a Copa do Mundo.

Leia também