Apps de investimento são 'cassinos perigosos', diz investidor veterano

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
O investidor Michael Burry. (Foto: Astrid Stawiarz/Getty Images)
O investidor Michael Burry. (Foto: Astrid Stawiarz/Getty Images)

Apps como o Robinhood nasceram e se promovem com a ideia de que eles “empoderam” pequenos investidores a negociar no mercado de ações com taxa zero. Eles seriam parte de uma “revolução” que tende a dar mais poder aos pequenos, contra os “tubarões” de Wall Street, como fundos de investimento.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Mas na opinião de Michael Burry, um dos investidores mais experientes e famosos do mundo, que foi até personagem de filme sobre a crise de 2008, por sua aposta contra os subprimes, o que ocorre é justamente o oposto.

Leia também:

Burry falou especificamente sobre a lógica desses apps, e disse que seu funcionamento é o oposto do que eles prometem.

As informações são do site Insider.

A explicação dele é simples: esses apps foram desenhados para aumentar o fluxo de dinheiro que chega em algumas das instituições mais tradicionais de Wall Street.

Além disso, eles afastam os investidores menores de estratégicas mais ortodoxas, e os aproximam do day trade, que é um jogo dominado por Wall Street. Ou seja, os “pequenos” tendem a perder às custas dos grandalhões.

“A ‘Revolução’ é um mito”, disse Burry. “Apps com zero comissão e gamificados são desenhados para alimentar as duas casas de negócios mais influentes de Wall Street. Burry comparou ainda os aplicativos a um “perigoso cassino”.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube