Aposta de Tite, Paulinho celebra resgate de confiança na China

Um dos jogadores que entraram em campo na vexatória derrota por 7 a 1 para a Alemanha, na Copa do Mundo de 2014, o volante Paulinho teve a sua convocação contestada no início do trabalho do técnico Tite na Seleção Brasileira. Afinal, após uma passagem apagada pelo Tottenham, da Inglaterra, estava esquecido no futebol chinês – defende o Guangzhou Evergrande, treinado por Luiz Felipe Scolari.

“É até meio complicado falar, mas não fiz nada de diferente. Depois da decisão de ir para o futebol chinês, que é complicada, só agradeço por terem confiado em mim. Resgatei a minha confiança lá, ganhando títulos, e dei sequência ao meu trabalho até retornar à Seleção Brasileira”, disse Paulinho, bicampeão do Campeonato Chinês e da Supercopa da China, além de ter vencido a Liga dos Campeões da Ásia em 2015.

O volante agora reconquistou reconhecimento também a serviço da Seleção Brasileira. Homem de confiança de Tite, ele anotou três gols na contundente vitória por 4 a 1 sobre o Uruguai, na quinta-feira, no Centenário. Na terça-feira, enfrentará o Paraguai em Itaquera, casa do Corinthians, clube que o projetou nacionalmente. “Vamos entrar concentrados lá”, pregou.

Satisfeito por sua aposta em Paulinho ter sido acertada, Tite preferiu ser econômico ao comentar a reviravolta na carreira do volante. “A atuação e os números dele falam por si só”, resumiu o treinador, destacando o condicionamento físico de todos os seus convocados. Com aqueles que estão na China, como Paulinho e Renato Augusto, a preocupação costuma ser maior nesse sentido.

“Os atletas adquiriram uma consciência grande de serem atletas na acepção da palavra. Ninguém está com porcentual de gordura alto. Eles sabem que o jogo também é físico”, concluiu Tite.

Leia também