Aposentado, Pelé quase jogou Copa do Mundo aos 45 anos; conheça história

Pelé jogou partidas oficiais pela Seleção Brasileira de 1956 a 1971 (Reprodução)


Um dos poucos recordes que Pelé não tem é o de jogador que mais participou de edições da Copa do Mundo. De 1958 a 1970, o Rei do Futebol jogou quatro vezes o torneio e conquistou três taças. Mas sabia que ele poderia ter disputado mais uma vez, mesmo aposentado, com 45 anos de idade? Abaixo, conheça melhor essa história e por que Edson Arantes do Nascimento não esteve no México, para a disputa da Copa de 1986.

Aposentado há nove anos na época, Pelé estava no Recife quando deu entrevista impactante no futebol brasileiro. Pouco tempo antes da edição de 1986, ele se ofereceu para integrar o elenco da Seleção Brasileira em busca, naquele momento, do tetracampeonato.

+ “Dor mundial”: imprensa internacional repercute morte de Pelé

- O que o Pelé poderia ganhar mais voltando? Nada, né?! Nós não temos um conjunto, nós não temos uma seleção jogando futebol que a gente achava ideal. Uma semana atrás, quando foi feita a proposta eu teria sei lá, 25 dias para treinar. Acho que daria para ajudar o Brasil - avaliou o Rei do Futebol.

A última partida oficial de Pelé pela Seleção Brasileira ocorreu em 1971, contra a Alemanha. Mesmo com 33 anos, o Rei afirmou, em entrevista concedida ao Uol, em 2013, que não jogou o torneio porque estava "insatisfeito com a situação da ditadura no país"

Telê Santana não atendeu ao pedido por conta da falta de ritmo e condição física do ex-atleta. Mesmo muito veterano, Pelé entendia que a sua entrada na Amarelinha poderia ser a solução para problemas vividos às vésperas da convocação; o treinador perdeu leque de opções para o torneio por lesão e corte disciplinar, caso de Renato Gaúcho.

No entanto, o Rei sabia que poderia ser uma decisão ruim em caso de fracasso na competição. Sem Pelé, o Brasil foi eliminado nas quartas de final, contra a França, na disputa por pênaltis.

Pelé faleceu na última quinta-feira, no Hospital Albert Einstein, aos 82 anos. O ídolo nacional e mundial estava internado há cerca de um mês, lutando contra um câncer no cólon. Ele deixa seis filhos vivos, a esposa Márcia Aoki e a mãe Celeste, que completou 100 anos em 2022.