Após sofrer ofensa racista, homem é agredido em bar tradicional de São Paulo

Homem foi agredido em frente a bar tradicional na Santa Cecília - Foto: Reprodução/Facebook
Homem foi agredido em frente a bar tradicional na Santa Cecília - Foto: Reprodução/Facebook

Um homem negro foi agredido fisicamente por homens que teriam proferidos insultos racistas contra ele em frente a um bar tradicional no bairro Santa Cecília, região central de São Paulo. A vítima foi arrastada e agredida por dois homens. As informações são do portal UOL.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Enquanto era agredida, a vítima gritava que estava sendo vítima de racismo. A dupla de agressores, que estava no bar, fugiu antes da chegada da Polícia Militar. De acordo com o UOL, a vítima alega não ter sido ajudada pelos seguranças do bar “Frango com Tudo Dentro". O restaurante, por sua vez, nega a omissão dos funcionários.

Leia também

A vítima diz que estava passando pela calçada quando um dos homens, que estava sentado numa mesa do lado de fora do estabelecimento, a chamou de “negão” e pegou pelo braço, exigindo ser atendido. O agredido disse ter recebido socos, chutes na cabeça e abdômen.

O agredido conta que a polícia chegou após uma hora e coletou depoimentos de testemunhas. A vítima se diz surpresa, pois já havia sofrido ofensas racistas, mas não imaginava que sofreria agressões físicas em uma região que frequenta assiduamente. Segundo o agredido, os agressores eram homens brancos e carecas.

“Me sinto humilhado e agora incapaz de ver justiça no Brasil. Queria ir embora do país”, admite o agredido ao UOL.

De acordo com o UOL, a gerente do bar afirmou que não se tratava de racismo e não ofereceu auxílio ao agredido. Funcionários da casa afirmaram não ter acesso às imagens de câmeras de segurança.

Carla Fiori, vice-presidente da Rede Biroska (empresa ao qual o bar pertente), afirmou que os funcionários levaram o agredido para dentro do estabelecimento, ofereceram água e sugeriram uma ida até a Santa Casa de Misericórdia. O agredido confirma que se negou a ir ao hospital.

Ainda conforme informações obtidas pelo UOL, registrou-se um aumento de 8% no número de boletins de ocorrência abertos em São Paulo em 2018 em relação ao ano anterior.

Leia também