'Querem acabar com o futebol', diz Felipe Melo sobre debate do fair play

Volante do Palmeiras diz que Rodrigo Caio não seria mau caráter se não tivesse feito o que fez no clássico contra o Corinthians e ironiza defensores do fair play

A discussão sobre fair play gerada pelo gesto do são-paulino Rodrigo Caio, que admitiu ter pisado no companheiro Renan Ribeiro e fez com que o árbitro anulasse um cartão amarelo para o corintiano Jô, incomodou o volante Felipe Melo, do Palmeiras. Após a partida contra a Ponte Preta, que selou a eliminação de sua equipe do Paulistão, o volante ironizou:

- Estão fazendo um monte de coisa de fair play, de não sei o quê, vamos ver se a gente vai falar amanhã que o jogador da Ponte tinha que pegar a bola e falar: "ô, professor, foi pênalti". É mole o fair play quando a bola está saindo e falar que bateu em um ou outro. Vamos bater nessa tecla agora desse fair play aí - disse o camisa 30, lembrando também do pênalti não marcado pela arbitragem.

Quando questionado especificamente sobre o lance envolvendo Rodrigo Caio, o volante do Palmeiras disse que não é possível julgar o caráter de uma pessoa por uma decisão como essa. Segundo ele, estão tentando acabar com o futebol:

- Acho que cada um tem uma reação. Se ele não fizesse aquilo não seria mau caráter. Dentro de campo é dessa maneira. Depois eu assisti ao jogo do Real Madrid e ninguém falou que o Cristiano Ronaldo, que estava impedido, tinha que pegar a bola e falar: "estou impedido, professor". Eu vi que o Maicon falou que prefere ver a mãe dos outros chorando, aí falam que o Maicon é mau caráter. Ninguém joga bola, né? Ninguém joga uma peladinha ou outra? Porque quando você joga você quer ganhar, né? E eu sou disso, jogava pelada, a bola batia na gente e a gente falava que batia no outro. Estão querendo acabar com o futebol, isso sim - disparou ele, que não soube responder se tomaria atitude igual à do zagueiro tricolor.

- Não sei, isso é questão de momento. O que você faz se o cara der um soco na cara do seu irmão? De repente eu fico paralisado, ou parto para cima dele. É momento.







E MAIS: