Após proibição da Justiça, ato contra Bolsonaro muda de local em São Paulo

Yahoo Notícias
TOPSHOT - Anti-Brazilian President Jair Bolsonaro football fans protest against him with a banner reading "We are for democracy" at Paulista Avenue in Sao Paulo, Brazil, on May 31, 2020, amid the COVID-19 novel coronavirus pandemic. (Photo by NELSON ALMEIDA / AFP) (Photo by NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)
TOPSHOT - Anti-Brazilian President Jair Bolsonaro football fans protest against him with a banner reading "We are for democracy" at Paulista Avenue in Sao Paulo, Brazil, on May 31, 2020, amid the COVID-19 novel coronavirus pandemic. (Photo by NELSON ALMEIDA / AFP) (Photo by NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)

O protesto a favor da democracia e contra Jair Bolsonaro (sem partido), prevista para acontecer em São Paulo neste domingo (7), mudou de endereço após a Justiça proibir a realização de dois atos simultaneamente na Avenida Paulista. Uma manifestação a favor do presidente está prevista no mesmo local.

O Movimento Somos Democracia, organizador do protesto contra Bolsonaro, acatou a decisão judicial e anunciou o ato para o Largo da Batata, na zona oeste da capital paulista, a partir das 14h. O grupo, porém, repudiou a proibição do ato na Paulista afirmando que a determinação “protege aqueles que atuam pelo fascismo e pela apologia da ditadura”.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também

“A decisão judicial proferida no fim da sexta-feira manifesta o desrespeito e cerceamento da Justiça de São Paulo ao direito à manifestação e liberdade de expressão. A mera justificativa da mínima possibilidade de confronto entre posições políticas antagônicas não sustenta a violação do direito à manifestação. A decisão sem ouvir as partes interessadas proíbe a realização de atos na Avenida Paulista no domingo, dia 7, na ânsia pela manutenção da ordem acaba por proteger aqueles que atuam pelo fascismo e pela apologia da ditadura”, comunicou o grupo.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

“O Movimento Somos Democracia, apesar do inconformismo com a decisão, irá atender a determinação judicial, para preservar a integridade física dos manifestantes e evitar a repressão, mas não vamos recuar dos nossos propósitos de interromper a marcha autoritária que rompe os limites constitucionais e da democracia”, complementou a organização do ato.

No último domingo (31), torcidas organizadas de futebol se uniram na Avenida Paulista em um protesto pela democracia e contra o fascismo, porém encontraram apoiadores de Jair Bolsonaro. A Polícia Militar conteve o confronto com bombas de gás lacrimogêneo e tiros de balas de borracha.

Leia também