'Pitbull' revela desavença com nutricionista após ser abandonado em sua última luta

Desde que foi contratado pelo Ultimate em 2005, Thiago Alves sempre competiu na divisão dos meio-médios (77 kg) onde, inclusive, chegou a disputar o cinturão contra Georges St-Pierre em 2009. Contudo, depois de ser derrotado por Carlos Condit cerca de dois anos atrás e conversar com o nutricionista Mike Dolce, que trabalhava com o atleta na época, ‘Pitbull’ decidiu baixar para os leves (70 kg) e se preparou durante um ano. Mas, no UFC 205,  realizado em novembro passado na cidade de Nova York (EUA), o brasileiro não bateu o peso para o duelo contra Jim Miller. E, na opinião do lutador, um dos culpados para isso foi o especialista em nutrição que o ‘abandonou’ três semanas antes da luta.

A parceria entre Pitbull e Dolce, que começou em 2010, definitivamente não terminou de forma saudável, segundo o brasileiro. Em conversa com a reportagem da Ag. Fight, o atleta contou que, depois de um ano de planejamento e preparação, o nutricionista lhe deixou na mão faltando menos de um mês para o seu combate. E essa atitude acabou com a amizade entre os dois a ponto de eles não se falarem mais. Mas, olhando para o futuro e pelo lado positivo, o brasileiro apontou que foi melhor dessa forma pois, atualmente, é acompanhado por profissionais que, na sua opinião, trabalham de forma muito mais eficiente e são muito mais preparados que Mike.

“Eu não converso mais com ele [Mike], não tem mais amizade nem nada. Acontece, mas acho que foi melhor dessa forma porque hoje em dia só tenho gente positiva na minha vida e não tenho ninguém me atrasando. A gente tinha planejado tudo e eu conversei com ele mais ou menos um ano antes de estrear na categoria dos leves. Mas a minha comunicação com ele ficou difícil. Eu moro na Flórida e ele mora em Las Vegas. E eu queria trabalhar com o pessoal que está comigo hoje em dia. O nível de profissionalismo aqui comparado com o do Mike é outro. Mas, como eu tinha uma amizade com o cara a gente conversou e ele falou: ‘Pode deixar que vou estar lá contigo, não se preocupa, você é meu parceiro e me ajudou a criar o meu business e se você precisar eu vou estar lá’. Então, beleza. Mas, três semanas antes da luta acontecer, o cara desapareceu. ‘Não vou poder estar aí’. Como assim não vai poder? A gente tinha combinado isso um ano antes. Resumindo uma história longa, no final acabou dando certo porque atualmente trabalho com pessoas que me receberam de braços abertos. E hoje em dia a minha pesagem para os 77 kg ficou fácil. Eu tenho somente mais 3 kg para perder até amanhã, o que é moleza”, disparou.

De volta nos meio-médios onde vai enfrentar Patrick Coté no próximo sábado (8), Pitbull garantiu que não pretende baixar novamente de categoria depois da experiência nos leves. De acordo com o atleta, o bruto corte de peso para se chegar aos 70 kg tira sua massa muscular e, consequentemente, prejudica um dos seus pontos mais fortes.

“Eu sempre lutei na categoria dos meio-médios, até disputei o cinturão nessa categoria. E eu sempre estive no ranking, sempre estive entre os tops. Eu sai do ranking porque passei mais de dois anos parado em função de lesões e agora tentando baixar para a categoria dos leves. Eu quis tentar. Mas, definitivamente, a minha categoria é a dos meio-médios. Eu tenho muito músculo para minha estrutura e perder muito músculo do jeito que eu estava perdendo tira um pouco da característica que me trouxe até aqui. Não penso mais em baixar para os leves de forma alguma”, afirmou.

Lutador do UFC há mais de dez anos, Pitbull apontou que nos dias de hoje possui um conhecimento que lhe faz entender o seu corpo e saber qual é o seu limite. Na opinião do atleta, as repetidas lesões que sofreu nos últimos anos podem ter sido causadas pelo excesso de trabalho físico durante suas preparações.

“Antigamente eu não sabia o que eu estava fazendo em relação a corte de peso. O meu preparador físico era maluco e fazia coisa demais. Acho que uma das razões para eu ter sofrido tantas lesões foi a agressividade com que eu ia para o meu levantamento de peso. Hoje em dia eu trabalho com profissionais de alta qualidade e que buscam me envolver bastante no treinamento e entender o que eu estou fazendo. Eu diria que posso me esforçar bem mais, mas ao mesmo tempo eu entendo o que está acontecendo. Com relação a nutrição, eu sou outra pessoa. Nunca tinha feito dieta na minha vida antes de vir para os EUA e comecei a entender de dieta de faz cerca de seis, sete anos. Hoje em dia eu tenho uma sabedoria e uma gama de informações não só no treinamento mas também na nutrição”, declarou.

Com duas derrotas nas suas últimas duas apresentações, Pitbull estará em ação no UFC 210 diante de Coté para tentar reencontrar a vitória. Aos 33 anos de idade, o brasileiro coleciona na carreira um cartel com 21 triunfos e 11 reveses.