'Moicano' questiona intenções de rival ao enfrentá-lo: "Não faz sentido"

Renato ‘Moicano’ estreou no maior torneio de MMA do mundo em dezembro de 2014. De lá para cá, no entanto, o brasileiro sofreu muito com lesões e realizou apenas uma luta neste longo período. Aos 27 anos, o brasiliense sustenta um cartel invicto de dez vitórias e um empate, mas terá uma pedreira pela frente neste sábado (15), no UFC on Fox 24, em Kansas (EUA). Ele encara o americano Jeremy Stephens, atual número 5 da divisão dos penas (66 kg).

Stephens, aliás, entrou no octógono pela última vez para encarar nada mais, nada menos do que Frankie Edgar, ex-campeão peso-leve (70 kg) do Ultimate. O americano também já derrotou Renan Barão, ex-dono do cinturão dos galos (61 kg), e atuou diante de nomes como Max Holloway, Anthony Pettis e Donald Cerrone. Até por isso que o brasileiro acredita que Stephens aceitou enfrentá-lo para “dar a volta por cima” de seu último revés.

“Eu acho que não faz sentido para ele [enfrentá-lo]. Na verdade, ele está enxergando essa luta como uma volta por cima. Ele fez uma luta dura contra o Frankie Edgar e, de repente, pensaram: ‘vamos botar um brasileiro aí para ele vencer’. É isso que ele está pensando e talvez seja isso que o UFC pensou. Mas eles não sabem o quanto que eu estou preparado”, afirmou Moicano, em entrevista à Ag. Fight.

Das dez vitórias do brasileiro na carreira, cinco foram por finalização e cinco foram por decisão. Já Jeremy Stephens conquistou mais de 60% de seus triunfos por nocaute. Ou seja, é muito provável que tenhamos pela frente um verdadeiro confronto de estilos no octógono montado pelo Ultimate.

“Há essa possibilidade. Ele vai querer me nocautear com certeza, ainda mais no começo do primeiro round. Mas a gente sabe que geralmente quem tem esse tanto de nocaute quer definir logo a luta. Então eu vou tentar levar a luta para o segundo e para o terceiro. Daí para frente, tenho traçado algumas estratégias que pode seguir em pé ou no chão. Acho que sou mais completo do que ele, principalmente no chão, e isso pode ser um caminho”, analisou.

A última apresentação de Renato Moicano pelo Ultimate foi maio de 2016, quando ele levou a melhor por decisão dividida diante do russo Zubaira Tukhugov. Se vencer neste sábado, é bem provável que o brasileiro entre na lista dos 15 melhores da divisão.