Após exibição “pirata” de entrevista, Conmebol veta Globo na Libertadores

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Decisão entre Flamengo e Palmeiras será realizada no Estádio Centenário. Foto: Buda Mendes/Getty Images
Decisão entre Flamengo e Palmeiras será realizada no Estádio Centenário. Foto: Buda Mendes/Getty Images

A Globo não poderá ter nenhum profissional na cobertura da decisão da Libertadores, entre Flamengo e Palmeiras, no próximo sábado. O fato ocorre após a Conmebol vetar a emissora carioca, que teria exibido a entrevista da coletiva de Abel Ferreira, técnico do Palmeiras, após a semifinal da competição.

Sem ter profissionais credenciados pela entidade, a exibição da fala do comandante palmeirense aconteceu no programa Troca de Passes, do Sportv, em 28 de setembro, quando o time paulista garantiu vaga para a final ao eliminar o Atlético-MG, em pleno Mineirão.

Leia também:

O veto da Globo também teve validade na decisão da Copa Sul-Americana, entre Athletico-PR e Red Bull Bragantino, com vitória dos paranaenses, no último fim de semana.

A decisão da entidade máxima do futebol sul-americano opta pelo veto pois, por contrato, é proibida a exibição de entrevistas coletivas ao vivo de seus torneios por empresas que não são donas dos direitos de transmissão dos jogos em nenhuma mídia.

Desta forma, somente o SBT, a Disney e a própria Conmebol em suas redes sociais poderiam mostrar as imagens em tempo real. A denúncia da transmissão feita pelo Sportv foi de um dos detentores dos direitos, que ao perceber a infração, fez a denúncia para a confederação.

Veto acontece em momento de reaproximação

No fim de outubro, a Conmebol fez um anuncio de que encerrou um processo contra a Rede Globo. A emissora tinha os direitos de transmissão da Libertadores de 2019 até 2022, mas decidiu deixar de transmitir a competição devido a necessidade de reduzir custos.

Assim, a emissora teria que pagar uma multa de US$ 60 milhões por ano. Sem divulgar o acordo, a entidade informou que a ação foi encerrada.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos