Após 517 mortes diárias, SP deve criar "fase roxa" com mais restrições contra o coronavírus

·1 minuto de leitura
Brazil's Sao Paulo state Governor, Joao Doria, is pictured as the inputs for production the CoronaVac, Sinovac Biotech's vaccines against the coronavirus disease (COVID-19), arrive at Sao Paulo International Airport in Guarulhos, near Sao Paulo, Brazil March 4, 2021. REUTERS/Carla Carniel
João Doria, governador de São Paulo, deve anunciar "fase roxa" na tarde desta quarta-feira, 10 (Foto: REUTERS/Carla Carniel)

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), deve anunciar nesta quarta-feira, 10, a criação da fase roxa do Plano SP. A etapa ainda mais restritiva que a fase vermelha é uma tentativa do governo estadual de conter o avanço da pandemia do novo coronavírus. A informação é da rádio CBN e a expectativa é que Doria faça o anúncio na coletiva na tarde de hoje.

São Paulo registrou ocupação de 80% nos leitos de UTI e teve 517 mortes em decorrência da covid-19 em 24 horas. Com isso, Doria, a secretaria de Saúde e o centro de contingência devem optar por uma fase mais restrita do Plano SP.

Leia também

Segundo a CBN, os serviços essenciais ficariam com horário restrito. Além disso, a campeonato Paulista também deve ser paralisado. A medida deve começar no final de semana.

Atualmente, todo o estado de São Paulo está na fase vermelha pelo menos até 19 de março. Com isso, apenas serviços essenciais podem funcionar, como mercados, farmácias, postos de combustível, padarias e espaços religiosos. O toque de restrição segue valendo das 20h às 5h.

ESCOLAS

Na fase vermelha, as escolas continuam funcionando, mas, com a fase roxa, o governo avalia fechar os colégios para atividades presenciais. De acordo com o G1, as unidades ficariam abertas apenas para que alunos pudessem receber merenda.

Na última terça-feira, 9, a Justiça determinou a proibição de que professores sejam convocados para atividades presenciais, seja em escolas públicas ou privadas.