Apesar de resistência, Rogério Caboclo sofre pressão para deixar a presidência CBF

·1 minuto de leitura


Segundo apuração da ESPN Brasil, o presidente da CBF, Rogério Caboclo, sofre pressão de diversos lados para renunciar ao cargo. A soma da mudança de sede da Copa América com a insatisfação dos jogadores e uma acusação de assédio moral e sexual pesam contra o cartola.

Veja a tabela da Copa América

Começou o Brasileirão! Conheça o aplicativo de resultados do LANCE!

Rogério Caboclo, que se encontra em uma situação difícil no cargo de presidente da CBF, recebeu um 'prazo' para tomar uma decisão em relação ao seu futuro. Dirigentes colocam a partida do Brasil contra o Paraguai, nesta terça-feira, como a data-limite. A indicação feita é que o cartola deixe o cargo o quanto antes.

Nesta sexta-feira, antes da partida entre Brasil e Equador pelas Eliminatórias, o presidente da CBF visitou o vestiário. Os jogadores, que já deixaram a sua insatisfação clara em relação à mudança de sede da Copa América, não estavam satisfeitos com a decisão de Caboclo.

- Valeu, valeu, presidente, tá bom - teria dito Neymar, cortando o presidente da CBF no meio de sua fala no vestiário da Seleção Brasileira.

O presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, estaria 'muito preocupado' com a situação de Caboclo, e a Fifa compartilha de tal sentimento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos