Apesar dos desfalques, Colômbia acredita em triunfo histórico sobre o Brasil

·2 min de leitura
(arquivo) O colombiano Miguel Angel Borja comemora após marcar contra o Chile em Barranquilla, na Colômbia (AFP/Juan BARRETO)

Sem seu maior artilheiro, Falcao García, e nem seus zagueiros titulares, a Colômbia está animada para vencer o Brasil na quinta-feira em São Paulo, escrever seu nome na história e caminhar em direção à Copa do Mundo do Catar-2022.

"A Colômbia tem jogadores de muita qualidade, tem condições de conseguir um resultado e fazer história", disse o atacante Luis Fernando Muriel nesta terça-feira em uma coletiva de imprensa.

O atacante da Atalanta, que ficou de fora da rodada tripla de outubro por decisão técnica, se mostrou confiante de que a seleção tricolor poderá impor ao Brasil a primeira derrota em casa em um jogo de eliminatórias sul-americanas.

"Esta partida deve ser enfrentada com todas as armas que temos à nossa disposição, fazê-lo com inteligência. Acho que a partida terá várias fases e temos que ser bastante inteligentes, saber interpretar os momentos de cada partida", acrescentou.

Muriel, de 30 anos, garantiu que a volta de James Rodríguez, afastado da seleção colombiana durante um ano devido a contusões e a uma decisão técnica, pode ser uma daquelas "armas" para tirar do Brasil a invencibilidade histórica em casa e no atual torneio classificatório para o Catar.

"Ter o James no elenco nos dá uma oportunidade a mais para este jogo, devido à sua grande capacidade técnica, à sua visão de jogo, o que o James cria dentro de campo", afirmou.

Apesar de seus frequentes problemas físicos, James pode ser a carta mais imponente dos 'cafeteros' para romper uma sequência de três jogos sem gols e derrotar o líder das eliminatórias.

O agora jogador do Al-Rayyan, do Catar, surge como a esperança de geração de jogo ofensivo da Colômbia, especialmente após o desfalque de Falcao devido a lesão.

"O Brasil é uma boa equipe, todos sabemos da capacidade que tem, mas temos armas suficientes para lutar", explicou o atacante Diego Valoyes.

Além da ausência de Falcao, Reinaldo Rueda perdeu por lesão Yerry Mina e Carlos Cuesta, dupla de zagueiros dos últimos três jogos, em que a Colômbia não sofreu nenhum gol, além do lateral Stefan Medina e do zagueiro Óscar Murillo.

O treinador terá de remendar a defesa diante da equipe mais ofensiva na competição, com 26 gols em onze jogos, e que teve dificuldades para vencê-lo nos últimos jogos.

Depois de encarar a seleção pentacampeã, a Colômbia enfrenta na terça-feira o Paraguai (oitavo, 12 pontos).

Os 'cafeteros' estão em quarto lugar, com 16 pontos, última colocação que garante vaga direta na Copa do Mundo.

raa/app/gfe/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos