Clubes brasileiros com patrocínio digital terão lucro minguado

Yahoo Esportes
Patrocinado pelo BMG, Timão só teve pouco mais de 20 mil contas abertas por alvinegros desde janeiro (Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians)
Patrocinado pelo BMG, Timão só teve pouco mais de 20 mil contas abertas por alvinegros desde janeiro (Rodrigo Gazzanel/Ag. Corinthians)

Sete times da Série A têm para 2019 patrocínios com bancos digitais. E, em todos os casos, há bônus previstos nos contratos de acordo com o número de contas abertas pelos torcedores, além da utilização de cheque especial, depósitos, empréstimos... Mas todas as previsões otimistas de Flamengo, Corinthians, São Paulo, Vasco, Atlético-MG, Cruzeiro e Athletico Paranaense, pelo menos até agora, não vingaram.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

É importante destacar que todos os departamentos de marketing dos sete clubes não abrem de forma oficial os números de novos correntistas, tampouco as movimentações financeiras criadas a partir de suas torcidas. Mas o Blog apurou alguns valores e outros indícios reforçando que as rendas variáveis serão pequenas.

Leia também:

O Corinthians, por exemplo, pretende transformar 200 mil torcedores em correntistas no Banco BMG para sonhar com a possibilidade de dobrar os R$ 12 milhões fixos garantidos no contrato. Porém, quase dez meses depois do anúncio do parceiro, são pouco mais de 20 mil contas criadas.

Já o Flamengo embolsou R$ 30,7 milhões com patrocínios no primeiro semestre de 2019, contra R$ 40,1 milhões do mesmo período de 2018. Vale lembrar que a Caixa bancava R$ 25 milhões por temporada ao Flamengo enquanto patrocinadora. Já o Banco BS2, que estampa sua marca desde janeiro, pagará R$ 15 milhões por ano fixos e outros R$ 10 por cada conta aberta.

Os quase R$ 10 milhões a menos de receita com publicidade em apenas seis meses revelam a perda de dinheiro com o patrocínio máster na comparação com 2018.

Mas o caso mais assustador é do Cruzeiro, aquele com metas mais ousadas ou irreais. A diretoria projetou a abertura de um milhão de contas no Banco Digi+. Porém, a péssima fase do time em campo - seria rebaixado se o Brasileirão terminasse hoje - atrelada a uma série de escândalos administrativos fizeram a receita variável não alcançar ainda R$ 1 milhão desde janeiro - o fixo da Raposa é de R$ 9 milhões.

O rival Atlético-MG fez projeções mais realistas, porém é outra “vítima” da falta de resultados esportivos e, por consequência, da adesão ao Banco BMG. Ao menos, tem R$ 9 milhões assegurados por temporada pelo contrato com o banco mineiro.

O Vasco conta hoje com uma das torcidas mais engajadas do país no projeto de construção de seu CT. No entanto, o mesmo não se aplica para a abertura de contas no BMG e o plus assegurado pelo dinheiro dos vascaínos no banco será tímido. Importante: o contrato entre as partes foi assinado por cinco anos, mas o BMG ou o Vasco podem solicitar a rescisão no fim de 2020.

Até lá, o Cruzmaltino tem assegurados R$ 8 milhões em 2019 e R$ 9,5 milhões em 2020 - a diferença se deve ao fato de o contrato só ter sido celebrado no terceiro mês deste ano.

O Athletico Paranaense conta com o mesmo parceiro do Cruzeiro, o Digi+, só que tem o contrato menos lucrativo. Não há um valor fixo que é pago mensalmente. Ou seja, o Furacão depende única e exclusivamente dos variáveis, pagos seguindo o mesmo modelo dos demais.

Por fim, o sétimo clube brasileiro patrocinado por um banco digital é o São Paulo, cuja parceria é a mais antiga: desde março de 2017. O Banco Inter não parece ter motivos para reclamar, já que saltou de 200 mil correntistas para pouco mais de um milhão. Já o Tricolor, responsável por cerca de 1/4 desse movimento melhorou em R$ 3 milhões por ano seu contrato. O valor fixo é de R$ 14 milhões, mas entrarão em 2019 nos cofres do clube R$ 17 milhões.

OS VALORES FIXOS DOS CONTRATOS:
Flamengo: R$ 15 milhões (Banco BS2)
São Paulo: R$ 14 milhões* (Inter)
Corinthians: R$ 12 milhões (BMG)
Atlético-MG: R$ 9 milhões (BMG)
Cruzeiro: R$ 9 milhões* (Digi+)
Vasco: R$ 8 milhões (BMG)
Athletico Paranaense: sem valor fixo (Digi+)

* o Tricolor ainda receberá R$ 3 milhões de variáveis

Siga o Yahoo Esportes

Twitter | Flipboard | Facebook | Spotify | iTunes | Playerhunter

Leia também