Após teste com AlphaTauri, Tsunoda diz que guiar carro da F1 foi “fácil”

Luke Smith
·3 minuto de leitura

Yuki Tsunoda deu mais um passo em direção a uma potencial vaga na F1 em 2021, ao completar seu primeiro teste pela AlphaTauri em Ímola, pilotando um carro da Toro Rosso, o STR13 de 2018.

A sessão só contribui para o ímpeto crescente de Tsunoda para fazer parceria com Pierre Gasly na AlphaTauri na próxima temporada, como substituto de Daniil Kvyat.

Leia também:

F1: AlphaTauri abre possibilidade para Tsunoda participar de um treino livre em 2020 Marko volta a falar de Hulk e Pérez e 'coloca' Tsunoda na AlphaTauri

Tsunoda completou mais de 300 km necessários para uma superlicença da FIA, mas também precisa terminar entre os cinco primeiros na F2 nesta temporada para se qualificar a uma vaga em 2021.

Depois de testar em condições úmidas pela manhã, Tsunoda foi capaz de completar algumas corridas com pista seca à tarde, gerenciando voltas de classificação e simulações de corrida.

Refletindo sobre seu primeiro dia de testes na F1, Tsunoda disse que embora o carro em si fosse mais fácil de guiar do que ele esperava, era também mais desafiador fisicamente.

“Foi mais fácil de guiar, mas também mais difícil fisicamente”, disse Tsunoda. “Eu esperava que fosse um pouco menos difícil fisicamente, especialmente no pescoço. Porque na Fórmula 2, eu não sinto muito meu pescoço, e ele é muito forte.”

“Depois que guiei um carro de Fórmula 1 hoje, senti uma grande dificuldade, especialmente na zona de frenagem e no desempenho da frenagem. A força de frenagem é maior do que eu esperava. Preciso de muito treinamento até talvez a próxima sessão e o próximo evento para guiar um carro de Fórmula 1.”

Tsunoda também disse que a potência do carro de F1 foi um grande avanço em relação ao que está acostumado na F2.

“Depois de pisar no acelerador, inicialmente sinto a grande potência do motor que não sinto muito na Fórmula 2”, disse Tsunoda. “Acho que a potência é mais do que eu esperava e isso foi, mesmo na chuva.”

“Mesmo em condições de chuva, acho que foi mais desempenho ​​do que eu senti na Fórmula 2 em condições secas. Essa foi a maior surpresa de hoje.”

Tsunoda foi capaz de aproveitar suas experiências no simulador da Red Bull para se acostumar com o volante complexo e as várias configurações do carro de F1, mas ficou satisfeito com a forma como conseguiu isso no final do dia.

“A experiência dos treinos no simulador da Red Bull me ajudou muito a me acostumar muito rapidamente, e o final da sessão foi realmente consistentemente rápido”, disse Tsunoda.

“Mesmo no simulador de corrida, os tempos de volta foram realmente consistentes, mesmo quando estou fazendo muitas coisas na direção a cada volta, quase todas as curvas. Esse foi um bom passo para mim.”

É amplamente esperado que Tsunoda apareça em uma sessão de treinos de F1 com a AlphaTauri antes do final da temporada, e já está confirmado para participar do teste de jovens no final do ano em Abu Dhabi.

Chefe da Red Bull detona erro de Albon após fiasco em Ímola e tailandês se complica para 2021

PODCAST: Hamilton blefa ou fala a verdade ao ameaçar deixar a F1?

Your browser does not support the audio element.