Após ser rebaixado, time alemão pede proteção policial por ataques de torcedores

·1 minuto de leitura
Sead Kolasinac, jogador do Schalke 04, reage após a derrota da equipe para o Arminia Bielefeld, pelo Campeonato Alemão

O Schalke 04 informou nesta sexta-feira que vai pedir proteção policial depois que torcedores atacaram o ônibus do time após o rebaixamento do clube alemão para a segunda divisão.

Um grupo de torcedores atirou ovos no veículo e acompanhou o retorno da delegação a Gelsenkirchen na quarta-feira, após a derrota para o Arminia Bielefeld, que decretou o rebaixamento matemático da equipe no Campeonato Alemão.

Já na cidade de origem, os jogadores foram perseguidos até suas casas e ameaçados. O carro de um atleta foi danificado antes da intervenção da polícia.

O clube explicou em comunicado que já "tomou medidas para garantir a segurança dos jogadores e da comissão técnica".

O diretor esportivo do clube, Peter Knaebel, disse ao jornal Bild que poderia "conviver" com o fato de os jogadores se recusarem a entrar em campo nas últimas quatro partidas da temporada.

Knaebel pediu desculpas aos jogadores e à comissão técnica por não terem tomado medidas de segurança com antecedência.

O time emitiu uma nota na qual afirmou que "uma linha foi cruzada na manhã de quarta-feira" e que "estes acontecimentos abalaram profundamente o clube".

"A violência nunca se justifica, nem no esporte nem na sociedade", acrescentou o comunicado.

Após 30 anos na elite, o Schalke 04 vai jogar na próxima temporada na segunda divisão, depois de acumular uma dívida de 217 milhões de euros, ampliada por um prejuízo de 52 milhões de euros no ano passado devido à pandemia de covid-19.

ryj/bpa/gh/lca