Após ser o mais votado, Leven Siano diz: 'querem alguém que tenha a capacidade de pacificar o clube'

Felippe Rocha e Felipe Melo
·2 minuto de leitura


Após longa indefinição, os votos da eleição do Vasco realizada neste sábado foram apurados e Leven Siano foi o candidato que terminou na frente no pleito. No entanto, é preciso salientar que a votação está sub judice e por este motivo a mesa diretora decidiu não declarar o vencedor. Em seu discurso, Siano agradeceu aos sócios, cutucou os adversários e disse que pretende pacificar o clube.

- Eu sou um estreante na política do Vasco. então essa é uma vitória extraordinária diante de outros personagens que estão na política do clube há 20, até há 40 anos como o grande benemérito Jorge Salgado. Ter mais votos que todos os outros mostra que os sócios vascaínos querem mudanças, querem algo diferente sendo feito no clube e alguém que tenha a capacidade de pacificar, respeitando a institucionalidade e os poderes do clube - afirmou.

- O resultado das urnas mostra a insatisfação de maneira geral do quadro de sócios com a atual gestão do presidente Alexandre Campello, que teve uma votação pífia de apenas 10% do colégio eleitoral. Enquanto um outro personagem se torna histórico na política do Vasco por insistir em tentar e perder: o senhor Júlio Brant teve 742 votos não se computando a urna 8. Isso significa que o quadro social se cansou desse personagem. - alfinetou outras chapas.

Ainda em seu discurso, Leven agradeceu aos membros da mesa diretora da Assembleia Geral diante da confusão que acometeu a longa votação em São Januário. Ele também relembrou a mobilização dos sócios do clube comparecendo à votação apesar da decisão judicial na noite do dia anterior.

- Gostaria de agradecer a todos aqui presentes que trabalhar durante incessante 21 horas em prol do amor que todos nós temos pelo Clube de Regatas Vasco da Gama. Em especial, a mesa diretora da Assembleia Geral, mais especial ainda, doutor Alcides, que honrou a todos os vascaínos com a sua altivez, fidalguia, lealdade e vascaínidade. Tirando nossa embarcação no momento em que ela parecia perder o rumo mais uma vez - agradeceu

- Também gostaria de agradecer ao expressivo número de sócios que fez uma grande festa democrática vascaína no dia de hoje. Foram 3447 sócios do Vasco, que vieram as urnas em uma mobilização rápida, de uma decisão judicial de um dia para o outro, que evidentemente fez com que todas as chapas fossem buscar os seus eleitores - completou.