Após ser detido, Rafael Ramos fala sobre acusação de racismo: 'Mal entendido'

Rafael Ramos disse que a acusação de racismo feita por Edenílson contra o lateral, durante o empate por 2 a 2 entre Corinthians e Internacional pelo Brasileirão, não passou de um mal entendido. O jogador do Timão foi preso em flagrante pelo crime de injúria racial, e após o pagamento da fiança, estipulada em R$ 10 mil, o português foi liberado.

> GALERIA - Jogos do Corinthians na Neo Química Arena com a volta do público

- Estou de cabeça limpa para explicar aquilo que aconteceu. Foi puramente um mal entendido entre mim e o Edenílson. No final do jogo, tivemos uma conversa tranquila, expliquei o que tinha acontecido, ele explicou o que tinha entendido, que não é verdade. Expliquei a verdade, tivemos uma conversa tranquila. Ele mostrou receio de se passar por mentiroso, e expliquei para ele que ele não é um mentiroso, apenas entendeu as palavras, entendeu errado aquilo que eu falei. Foi isso, apertamos a mão e desejei boa sorte - disse Rafael Ramos após ser liberado.

O delegado Carlo Vitarelli confirmou que Rafael Ramos foi preso em flagrante pelo crime de injúria racial. Vitarelli disse que o lateral pagou a fiança, estipulada em R$ 10 mil, e agora vai responder ao crime em liberdade.

- Ele foi preso. Ele cometeu um crime de injúria racial. Ele foi preso, mas é um crime afiançável. Como ele pagou a fiança, ainda nesta noite, ele vai responder em liberdade - comentou o delegado

- O árbitro narrou que não presenciou o fato, mas que ele foi comunicado pelo jogador do acontecimento. Esse fato foi colocado na súmula, o jogador foi autuado. Esse flagrante está sendo remedido ao poder judiciário. O jogador vai responder o processo em liberdade. Depois disso, vai ser aberto um inquérito policial para aprofundar as investigações. Serão ouvidas possíveis testemunhas, temos a imagem que pode ser submetida a uma perícia para leitura labial. Isso tudo no decorrer do inquérito policial - explicou Carlo Vitarelli.

A advogado contratado pelo clube paulista para cuidar do caso, Fabiano Serveira, falou na saída da delegação corintiana do estádio Beira-Rio.

- Foram prestados todos os esclarecimentos. Aqui não há nenhuma conduta criminosa, todos os procedimentos foram realizados, todos os esclarecimentos prestados. A conduta foi demonstrada com nenhum cometimento de crime. Então, tanto clube, como atleta, estão muito tranquilos com relação aos esclarecimentos prestados deste mal entendido. Tudo isso foi devidamente esclarecido à autoridade policial, encerrando o procedimento - esclareceu Fabiano Serveira.

> TABELA - Confira e simule os jogos do Timão e Inter no Brasileirão

ENTENDA O CASO

Aos 30 minutos do segundo tempo, o jogo foi paralisado após Edenílson acusar Rafael Ramos de ter usado o termo "macaco". Os jogadores ficaram discutindo dentro de campo, e a partida foi retomada após quatro minutos de muita cobrança pelo lado Colorado.

O Inter emitiu comunicado oficial expressando repúdio acerca do tema, e frisou que "É inadmissível que ainda ocorram fatos desse tipo em 2022, não há espaço para o racismo em nossa sociedade."

O diretor de futebol do Corinthians, Roberto de Andrade, explicou que o termo usado por Rafael Ramos não teria sido 'macaco', e sim "mano, car....", e que Edenílson poderia ter sido interpretado de forma diferente as palavras do português.

Já na sumula do árbitro da partida, Braulio da Silva Machado, foi constatado que Rafael Ramos disse: " foda-se car....", segundo o árbitro.

Após o jogo, o meia do Colorado prestou depoimento e registrou o incidente junto à Polícia Civil. Edenílson também deu a sua versão dos fatos em suas redes sociais.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos