Após se tornar o segundo maior artilheiro da história do Fluminense, Fred diz: 'Motivo de honra'

LANCE!
·5 minuto de leitura


Nesta quarta-feira, o Fluminense venceu o Santa Fé (COL) por 2 a 1, no Estádio Centenário, na cidade de Armênia, e conseguiu os primeiros três pontos na Libertadores. Autor dos gols do Tricolor e eleito o melhor jogador da partida, Fred elogiou o elenco, falou da dificuldade de jogar fora de casa e comentou sobre o fato de ter se tornado o segundo maior artilheiro da história do clube, ao alcançar 185 gols e passar Orlando Pingo de Ouro.

> Veja a classificação do grupo do Fluminense na Libertadores

- Antes do jogo eu não coloco isso como meta, como objetivo. Mas logo após o jogo o nosso assessor me lembrou disso. E quando eu fui fazer o agradecimento para a nossa torcida eu acabei me emocionando. É algo grandioso na vida de qualquer atleta, em uma camisa tão pesada quanto a do Fluminense. Então fico muito feliz em alcançar esta marca e fazendo gols na Libertadores.

- É um motivo de honra, de orgulho, de satisfação. Eu acho que o mais impressionante é que a torcida é que me faz me sentir como amigo pessoal deles. Parece que estou dentro da casa de cada um pelas mensagens que recebo, e o que eu tento fazer é retribuir dentro de campo. Às vezes não sai gol, às vezes não joga bem, mas não só eu, mas como toda a equipe, vamos dedicar e suar o máximo possível. Brigar por cada bola para representarmos bem esta camisa. Dedico a esta torcida maravilhosa e espero que mais gols possam vir - completou Fred, após alcançar a meta histórica e se consolidar mais ainda como ídolo do Tricolor.

Além disso, o atacante fez questão de elogiar o empenho da equipe, mesmo com todas as adversidades. Fred falou, também, da dificuldade de enfrentar o Santa Fé na Colômbia, embora o jogo não tenha sido realizado na cidade de Bogotá.

- Não é fácil vir aqui na Colômbia, o Santa Fé é um adversário duro, mas soubemos jogar o jogo, colocamos intensidade e só tenho que parabenizar toda a nossa equipe. Nós conseguimos compensar todo o esforço que o clube fez, porque as viagens foram desgastantes, mas graças a deus deu tudo certo e nós conseguimos dar este passo importante com uma vitória fora de casa.

Sobre a dinâmica proposta pelo Santa Fé, Fred ressaltou que o Fluminense já esperava um time que fosse pressionar. Embora o Tricolor tenha aberto o placar por 2 a 0, o atacante disse que o gol sofrido pela equipe deu forças para o time colombiano ir para cima. Além disso, o artilheiro da noite falou sobre como a partida fluiu após a expulsão de Egídio, já na etapa final, por conta do segundo amarelo.

- A gente sabia que o Santa Fé iria imprimir um ritmo muito forte desde o início do jogo, então, o que a gente tinha que fazer era marcar bem e quando tivéssemos a bola, agredi-los também, e fazer mal a eles com nosso sistema ofensivo.

- Nós fomos felizes porque saímos na frente, fizemos 2 a 0 logo no início do segundo tempo, mas aquele gol (do time adversário) realmente deu ânimo a equipe do Santa Fé, e logo após a expulsão, foi um jogo de dedicação, de entrega, de alma, então é parabenizar muito o grupo por toda a entrega porque valeu a pena esse esforço - completou o atacante.

Ainda sobre o Fluminense, o atacante disse sobre a motivação da equipe por conta de muita gente desacreditar nos jogadores. Para Fred, o time mostra cada vez mais ter 'alma e espírito de guerreiro'.

- Não é que eu uso isso como motivação para nós. Quando fomos jogar o Campeonato Brasileiro ninguém acreditava, viemos para a Libertadores e ninguém acreditava. A gente não se incomoda com isto. Só que eu mais cobro do meu time é colocar para fora a qualidade que temos. Porque alma e espírito nós temos do time de guerreiros. E quando colocamos essa qualidade, com alma, espírito, entrega, intensidade, temos condições de vencermos qualquer equipe que enfrentarmos.

- Sabemos que a primeira fase da Libertadores é muito dura, muito difícil e terminamos esta segunda rodada com uma tarefa que conseguimos. Nos dá uma tranquilidade momentânea, mas na outra quinta-feira já temos outra pedreira. E vamos tentar fazer a mesma coisa e sairmos vitoriosos. E mesmo com as pessoas da imprensa não acreditando, confiamos no nosso trabalho. Sabe o tanto que nos dedicamos e estamos sendo merecedores de tudo que está acontecendo conosco - disse o atleta.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

VEJA OUTROS TRECHOS DA ENTREVISTA DE FRED

Crias de Xerém


- Nós temos muitos jogadores jovens. E o jogo contra o River foi muito especial para o nosso time. Mas hoje eles puderam sentir de verdade o espírito da Libertadores. Quando tem bola, quando dá para jogarmos futebol, a gente joga. Quando tem que sofrer junto, sofremos. E quando tem que ser pressionado sofremos mesmo com um a menos suportando uma pressão grande, com uma bela atuação do nosso goleiro, o Marcão. Então estamos pegando corpo, estamos pegando bagagem e estamos aprendendo dentro da competição o que é uma Libertadores. O clube já está acostumado com isso, mas tem muitos jovens que estão pressionados. E nós, que estamos acostumados, estamos impressionados com esses jovens. Com a personalidade que eles apresentaram contra o River, no jogo de hoje. Então, está sendo motivo de orgulho para nós.

Características do time

- Este é o nosso time. A gente já resgatou esse espírito desde o ano passado. E, hoje, mais uma vez, comemoramos com a música "Time de Guerreiros". Vibramos muito e vibramos a cada vitória. Porque sabemos como foi esta viagem, mesmo com todo o esforço da nossa diretoria para fazer uma logística fretando dois aviões, fazendo o melhor para nós. Foi uma viagem dura, que nos colocou em condições de fazer um jogo duro como foi hoje. Então, precisávamos estar bem fisicamente, com força. E o mais legal é que tivemos personalidade. Nosso time está encorpando. Com a chegada dos reforços encorparmos ainda mais. Estamos muito felizes com o trabalho do Roger. Então vamos continuar crescendo a cada jogo para buscarmos títulos importantes nesta temporada.