Após rescindir com o Inter, Taison faz críticas pesadas ao presidente do clube

Em segunda passagem, Taison fez 59 partidas no Colorado (IMAGO/Sports Press Photo)


Depois de terminar seu vínculo com o Internacional onde tem negociação para reforçar o PAOK-GRE, o atacante Taison concedeu entrevista ao streamer Gustavo Paiva, em seu canal na 'Twitch', onde disparou uma série de críticas voltadas a Alessandro Barcellos, presidente do Colorado.

Além de falar que não gostaria de ver o dirigente 'nem pintado de ouro', o jogador elencou uma série de fatores que colaboraram para o desgaste da relação. Tanto em relação ao trato com ele como também até em relação a funcionários do Inter.

>Confira a movimentação dos clubes na atual janela de transferências

- Eu não quero ver ele (Alessandro Barcellos) nem pintado de ouro na minha frente. Sabe o que é um cara ficar te ligando todo dia pra eu vir. Eu tinha um bom salário no Shakhtar, um bom contrato. E ele me ligava todo dia pra eu vir. Aí eu rescindo, deixo um caminhão de dinheiro lá, para chegar aqui e eles fazerem isso comigo. Eu vivi o clube, era um torcedor dentro do campo. O que eu mais queria esse ano era ser campeão. Eu falei para os caras, se quiserem baixar meu salário, podem baixar de boa. Eu vou brigar para ser o titular. Só que eles não quiseram e eu também não vou ficar me rebaixando tanto - detalhou Taison.

O atleta hoje com 34 anos de idade e que está perto de retornar à Europa relatou que, no último contato com Alessandro Barcellos, a conversa "subiu o tom" consideravelmente onde mencionou, inclusive, o comportamento do ex-companheiro Yuri Alberto, hoje no Corinthians.

- Eu saí de lá e pedi para eles cuidarem dos roupeiros e dos massagistas. Seu Gentil, que é roupeiro, está lá há 40 anos, e os caras não tiveram nem um centavo de premiação. Quem deu a premiação para eles fomos nós. jogadores. Eu que tirei do meu salário para dar. Se eu falar, as pessoas não vão acreditar no que eles fazem. Eu falei para ele (Barcellos) na cara dele, eu tinha que ter feito igual o Yuri Alberto fez com vocês. Na segunda-feira disse que ia vir jogar aqui e na quarta-feira foi anunciado no Corinthians, largando flauta do DVD. Vocês gostam de jogadores assim - disparou.

No meio de 2022, o Internacional viveu problemas com o pagamento dos direitos de imagem junto ao elenco onde o atraso que chegaria a três meses gerou um boicote a atividade que estava programada no CT Parque Gigante. Na época, Taison foi apontado como o líder do movimento, algo que foi rebatido pelo agora ex-atleta do clube:

- Botaram tudo nas minhas costas. Eram 33 jogadores sentados no vestiário, dizendo que não iam treinar, e sobrou pro Taison. Presidente não teve coragem de dizer na entrevista que não foi o Taison. Os caras me batendo igual criança. Eu apanhando igual criança. Parecia que fui eu que fiz aquilo. Estou com uma mágoa muito grande, mas quarta-feira isso passa. Quando eu tiver treinando com 3 graus, já passa.