Após recusa de Lisca, Botafogo busca perfil de 'nome cascudo' para técnico

·1 minuto de leitura


O tempo passa e o Botafogo praticamente retornou à estaca zero na busca por um novo treinador. Após a recusa de Lisca na última proposta feita pelo clube, o Alvinegro voltou ao mercado em busca de um nome para assumir a equipe. Algo está definido: a diretoria busca um perfil 'cascudo'.

+ Ainda sem técnico, Lúcio Flávio e Ricardo Resende, do sub-20, comandam treinos do Botafogo

Ou seja, o Botafogo quer um treinador de experiência, consolidado no mercado brasileiro e que carregue um "nome" de peso consigo. Isto vai em contramão ao perfil de Marcelo Chamusca, ex-treinador - que apesar de bons trabalhos recentes em outros clubes, não era um nome pesado no cenário nacional.

Vale ressaltar que, por conta das novas regras da Série B do Brasileirão, o Botafogo não pode mais demitir treinadores na competição. Ou seja, o próximo nome que assumir, na tendência, tem que ficar com a equipe até o fim do torneio, em dezembro.

Por isto, a diretoria busca, neste momento, não olhar para apostas e quer um perfil mais consolidado, que traga experiência. A cúpula entende que o atual contexto, que traz muita pressão interna e externa pelo acesso à elite do futebol nacional, "pede" um treinador que saiba lidar com tais situações.

A diretoria trabalha com nomes de preferência, que ainda são mantidos em sigilo. O que se sabe é que, antes de tudo, o Botafogo buscará um treinador com perfil mais experiente e traga uma resposta imediata à pressão vivida pelo clube. A ver os próximos capítulos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos