Após primeira vez como titular, Gustavo Garcia cita ‘frio na barriga’ e admite que não esperava ser substituído

LANCE!/NOSSO PALESTRA
·3 minuto de leitura


Uma das grandes promessas das categorias de base do Palmeiras, Gustavo Garcia, de 19 anos, fez sua primeira partida como titular pelos profissionais na última quarta-feira (24), no empate por 1 a 1 diante do São Bento, em Volta Redonda. No clube desde o Sub-13, em 2015, quando foi captado na Portuguesa, o jovem coleciona títulos e também já atuou pela equipe de futsal do Verdão.

Vivendo o clube desde muito jovem, Garcia admitiu o frio na barriga quando recebeu a informação de que seria titular, já na preleção do auxiliar técnico João Martins. Vale lembrar que o lateral-direito realizou sua estreia com a camisa alviverde no Dérbi diante do Corinthians, na primeira partida do clube no estadual. Na ocasião, o camisa 32 entrou em campo aos 25 minutos do segundo tempo, no lugar de Willian.

– Estava na minha cabeça que poderia jogar, mas quando recebi a notícia na preleção, fiquei muito feliz. Deu aquele frio na barriga por ser meu primeiro jogo como titular com a equipe profissional. Graças a Deus deu tudo certo!

O jovem ainda ressaltou que sentiu mais frio na barriga ao entrar em campo, mas quando aqueceu a ansiedade passou e então colocou em mente que iria ajudar os companheiros para sair com os três pontos.

– Na hora que estávamos entrando em campo, senti um leve frio na barriga, mas depois do aquecimento passou toda aquela ansiedade. Coloquei em mente que iria ajudar a equipe a sair vitoriosa.

No entanto, a primeira vez de Gustavo Garcia durou menos do que ele imaginava. Com a expulsão de Weverton aos 24 minutos, João Martins optou por sacrificar o lateral e colocar o goleiro Vinicius Silvestre na partida.

Sobre o ocorrido, o lateral revelou não imaginar que seria o escolhido e disse que estava focado somente no jogo. Entretanto, apesar dos poucos minutos no gramado, disse deixou na partida o que tinha de melhor:

– Não passava pela minha cabeça de jeito nenhum que eu poderia ser o substituído porque eu estava focado somente no jogo. Na hora, eu não escutei o professor me chamando. Meus companheiros que vieram me falar que eu tinha que sair. […] Mas acho que, independentemente do tempo, eu joguei meu futebol. Deixei tudo lá dentro e agora tenho de continuar trabalhando para estar pronto para a próxima oportunidade

Para finalizar, Garcia ainda destacou que confia no julgamento da comissão técnica e que entra em campo para ajudar o Palmeiras e fará isso sempre:

– Eu confio no julgamento da comissão técnica e eles avaliaram que a minha saída para a entrada do Vinicius seria o melhor para o time. Então, sem problema nenhum. Eu entro em campo para ajudar o Palmeiras e quero fazer isso de qualquer forma.

Sem previsão de retorno aos gramados, a equipe do Palmeiras retorna a São Paulo para continuar os treinamentos previstos ao longo da paralisação do futebol. No entanto, segundo Abel Ferreira, jovens devem ganhar mais minutos ao longo da competição estadual e, portanto, Garcia pode atuar mais vezes com a camisa do Verdão.