Após perder o pai para a Covid-19, lateral capitão tenta liderar o Friburguense rumo à elite do estado

·1 minuto de leitura


O Friburguense conquistou três pontos importantes diante do Americano, na última quarta-feira, e assumiu a vice-liderança do Grupo A da Série A2 do Campeonato Carioca. Apenas atrás apenas do Artsul, o time mescla experiência de velhos conhecidos da torcida e a juventude de jogadores revelados na base do clube. Um deles, o lateral-direito Murillo, capitão da equipe, passou por um drama infelizmente comum no Brasil atual: perdeu o pai para a Covid-19.

- Estou focado e concentrado no meu trabalho, pois tenho certeza que meu pai, lá de cima, está me abençoando e torcendo. Vai ser atípico não tê-lo aqui fisicamente para falar do jogo, mas fico com as nossas melhores lembranças e certo de que ele está olhando por mim e pela nossa família - entende Murillo.

O pai do lateral era Jaconias Fernandes, que morreu em decorrência de complicações do vírus causador da atual pandemia. A perda, na semana passada, do maior incentivador, aos 55 anos, obviamente abalou e entristeceu o jogador. Mas ele se concentra para seguir em frente.

- A A2 é um campeonato muito disputado e, por isso, todo jogo é uma decisão. Tivemos a felicidade de vencer esses dois jogos e vamos seguir firmes para continuarmos nessa batida. Sabemos da qualidade dos adversários e respeitamos, mas vamos em frente em busca dos nossos objetivos", prega Murillo.

-> Confira a tabela do Campeonato Brasileiro

O Friburguense tem seis pontos. No próximo sábado, enfrenta o Duque de Caxias, quinto colocado. A partida, válida pela quarta rodada, será às 15h, no Estádio Eduardo Guinle, em Nova Friburgo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos