Após nona vitória seguida e classificação para a Copa, Tite diz: "Seleção não está pronta"

O Brasil alcançou a classificação para a Copa do Mundo de 2018 e a nona vitória consecutiva sob a batuta de Tite na goleada sobre o Paraguai, nesta terça-feira (28), pela 14ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas. O treinador, no entanto, garante que a equipe ainda não está pronta para o torneio e explica que esta será a sua missão nos próximos anos.

"Consolidar a equipe. Na medida que você repete o desempenho e ele não oscila. Não é só não tomar gol, mas para fazer gols nesses caras é bravo. É encontrar essa solidez, se consolidar. A equipe não está pronta, ela tem que se consolidar. Vencemos o Equador, e a equipe estava com a perna bamba, relaxada. Me falaram que tínhamos que fazer 37,5. Primeiro que não existe, segundo que é muito alta. A gente estava jantando e não descia nada. É muito grande a preocupação e a responsabilidade. Aquele primeiro jogo deu mais que estabilidade, mas confiança para que a equipe pudesse fluir", afirmou.

O treinador soube da classificação para o principal torneio futebolístico nos minutos finais da coletiva. Quando foi informado pelo repórter, Tite demonstrou bastante felicidade. Aplaudido pelos jornalistas que estavam na sala de imprensa da Arena Corinthians, o treinador gaúcho revelou quais são os seus planos para o time nos próximos duelos:

“O momento que te classifica abre algumas perspectivas. Teremos uma série de oportunidades para outros jogadores atuarem também. É possível oportunizar o atleta, fazer com que ele tenha chance de mostrar”, declarou o comandante da Seleção Brasileira, que ainda completou enaltecendo o desempenho dos atletas:

Tite Brasil Uruguai Eliminatorias 2018 23032017


(Foto: DANTE FERNANDEZ/AFP/Getty Images)

"O que mais tem me agradado é o nível de desempenho. Isso que dá confiança. É algo muito difícil de adquirir é o que dá resultado. A gente, em termos táticos, sabe fazer pressão alta, média e baixa. O lance do pênalti, por exemplo, foi o Neymar que roubou a bola. A gente, às vezes, não vai tomar a bola aqui na frente, mas é um processo que vai deixar quem está atrás pronto para roubar a bola depois de um passe espremido. Com a capacidade que esses jovens têm, não tem jeito. É ter padrão e saber jogar. Essa competição dos seus atletas em seus setores, bola parada... Precisamos ter coerência para encontrar o atleta no melhor nível técnico no momento".

Confira, abaixo, outros pontos da entrevista coletiva:

Comparação com outras Seleções que empolgaram e fracassaram no Mundial: “Primeiro, eu entendo a sua pergunta, mas não consigo fazer comparativos com situações anteriores. São etapas e momentos que cada um viveu. O futebol é uma série de etapas importantes. Se a equipe está crescendo e se consolidando, que ela continue partindo para cima. Que ela vá consolidando. Eu vou monitorar cada passo para que ela esteja sólida, exigente. Na hora que perdemos o pênalti, queria ver como reagir também. Esse processo de consolidação, a cada jogo, a cada treinamento, vamos buscar consolidação e evolução”.

Neymar Brasil Paraguai Eliminatorias 2018 28032017


(Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP/Getty Images)

Importância das individualidades: “O coletivo potencializa o individual. Se a bola chegar no Neymar, eles marcam, mas o outro lado fica mais exposto. O Coutinho cria chances, aí entra o Fagner, entra o Paulinho. A gente leva o Neymar para um lado, deixa que ele fique isolado e abre espaço para outro. Se marcam dois, em algum lugar, vai faltar gente. É encontrar essas áreas alternativas”.

Melhora imediata após assumir a Seleção Brasileira: “A Seleção já tinha um grupo de trabalho e nós incorporamos e uma comissão técnica comprometida e qualificada. O atacante central que iria jogar hoje foi substituído por um jogador de mobilidade. Quando saiu a escalação, começamos a buscar por onde ele poderia cair. Informação gera interpretação para gerar conhecimento. Ter uma equipe de trabalho nos proporcionou ter o acompanhamento de 60 atletas mais os que podem ser convocados. Eu fico contente com o reconhecimento, mas se não tiver por fora, não tem jeito”.

Arce 29-09


Tite esclarece discussão com Arce, técnico do Paraguai (Foto: NORBERTO DUARTE)

Discussão com Arce, técnico do Paraguai: “Vamos esclarecer o que falei para ele: "por trás não". Eu fui porta-voz do chute do Neymar por trás que merecia a expulsão. Eu olhei para ele: "por trás não, isso está errado". Foi isso que cobrei dele, lealdade”.