Após Guedes admitir 'licença' para gastar, Bolsonaro insiste que Auxílio Brasil não vai furar teto

·1 min de leitura

BRASÍLIA — Uma dia após o ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmar que o Auxílio Brasil de R$ 400 deverá ser pago em parte fora do teto de gastos, o presidente Jair Bolsonaro insistiu que o programa será feito dentro do teto, apesar de não explicar como.

— O que nós decidimos? Passar todos para no mínimo 400 reais. Isso tudo com responsabilidade. Ninguém está furando teto, não — disse Bolsonaro, durante inauguração de trecho da transposição do Rio São Francisco, em São João de Piranhas (PB)

Na quarta-feira, Bolsonaro já havia dito que "ninguém vai furar teto" nem fazer "nenhuma estripulia no Orçamento".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos