Após Diego Costa encaminhar rescisão com o Galo, Corinthians monitora situação e estuda proposta

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Em 2021, pelo Galo, Diego Costa fez 19 jogos e cinco gols (Foto: Pedro Sousa / Atletico MG)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


As chances de Diego Costa ser o sonhado centroavante do Corinthians para a temporada de 2022 aumentaram nas últimas horas, já que o atacante encaminhou a sua rescisão com o Atlético-MG.

Diego não é o plano A da diretoria corintiana para a posição nesta temporada, mas é a mais acessível, principalmente após o técnico do Manchester United, Ralf Rangnick, ter exposto publicamente o desejo de contar com Edinson Cavani até o fim do contrato do uruguaio com o clube inglês, em junho. Cavani é a primeira opção de ataque o Corinthians tem até o momento, ao lado de Luís Suárez, que está em fim de vínculo com o Atlético de Madrid, da Espanha, mas que não mostrou interesse em se transferir para o futebol sul-americano.

A ideia do Corinthians é ter um centroavante de peso, que imponha respeito, para a disputa da Copa Libertadores, que para o Alvinegro começa em abril, já na fase de grupos, mas não existe hipótese do clube do Parque São Jorge 'entrar em dívididas' com outros clubes, negociando a transferência ou pagando multa rescisória. Como Diego Costa está perto de deixar o Galo amigavelmente, ficaria livre no mercado e facilitaria o acerto com o Time do Povo.

Em dezembro, o presidente do Timão Duílio Monteiro Alves, em entrevista à Gazeta Esportiva, ressaltou que não pagaria multa rescisória por Diego Costa e só investiria no atacante no caso dele deixar o Atlético-MG e aceitasse diminuir o padrão salarial.

O primeiro ponto está próximo de ser resolvido pelo próprio jogador e clube mineiro, já em relação aos valores que Diego poderá receber no Corinthians pode ter prática diferente do discurso por parte da direção do clube, que aposta na parceria com o Grupo Taunsa, empresa de agronegócios que no fim de 2021 firmou a união com o clube do Parque São Jorge, para ser um investidor para arcar com parte dos salários do centroavante - esse modelo de negócio é o mesmo que viabilizou a contratação de Paulinho, que recebe parte dos seus vencimentos do Corinthians e outro montante é pago pela Taunsa.

Atualmente, o padrão de recebimento de Diego Costa está na casa dos R$ 16 milhões anuais. A ideia do Timão é apresentar uma proposta nesta casa. Contudo, até o momento não houve contato entre a direção corintiana com o estafe do atacante. A cúpula do Timão aguarda a confirmação da rescisão do atleta com o Atlético-MG para entrar de vez no negócio. A estratégia é a mesma que foi adotada com sucesso nas investidas para contratar Giuliano, Renato Augusto, Willian e Róger Guedes, no início do segundo semestre do ano passado.

Enquanto isso, Diego Costa segue passando férias em Madrid. O atacante já liberou os seus empresários a escutar propostas de clubes interessados, mas prioriza o mercado europeu, o que pode frustrar um possível interesse formal do Corinthians nos próximos dias.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos