Após desistir das Olimpíadas por perigo da Covid-19, Guiné decide levar delegação a Tóquio

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Sanoussy Bantama Sow, ministro do Esporte da Guiné, anunciou na quinta-feira (22) que o país africano estará presente na Olimpíada, recuando da decisão anterior de desistir do evento.

"O governo, após obter garantias das autoridades de saúde, permitiu a participação de nossos atletas", afirmou um comunicado do Ministério do Esporte, que não deu detalhes de que garantias seriam essas.

Na quarta-feira (21), Sow havia dito que o governo estava "preocupado em preservar a saúde dos atletas guineenses" com o surgimento de novas variantes do Sars-CoV-2 e que por isso a nação desistiria do evento.

O posicionamento da última quarta havia causado surpresa no COI (Comitê Olímpico Internacional), que afirmou se tratar apenas de um "mal-entendido".

Agora, a Guiné enviará os seguintes atletas para Tóquio: Fatoumata Yarie Camara (luta olímpica), Mamadou Samba Bah (judô), Fatoumata Lamarana Touré e Mamadou Tahirou Bah (natação) e Aïssata Deen Conté (atletismo). Em 11 participações nos Jogos, o país nunca conquistou uma medalha.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos