Após declaração, Klopp responde Frank Lampard: 'Não somos arrogantes, muito pelo contrário'


Durante a vitória do Liverpool sobre o Chelsea por 5 a 3, na última terça, o treinador Frank Lampard perdeu a cabeça com o banco de reservas do adversário. O técnico inglês alegou que Jurgen Klopp "cruzou a linha" e disse que não se arrepende da atitude. No entanto, o comandante alemão não gostou e retrucou o adversário.

- Do meu ponto de vista, em uma situação como essa, você pode dizer o que quer, mas depois do jogo, tudo acaba . Eu já falei muito no passado. Como o futebol é pura emoção, estamos envolvidos. Lampard veio para vencer e se classificar para a Liga dos Campeões. Ele tem que aprender, ele ainda tem muito, ele é um jovem treinador. Você precisa aprender que, após o apito final, acabou. Falar sobre isso depois não é bom - disse Klopp, e completou.

- Não somos arrogantes, muito pelo contrário. Em um momento quente, você diz alguma coisa e quer machucar a outra pessoa. É assim que é nas discussões, não há problema. Apito final, fim da história. Ele não fez isso e é o que eu não gosto. Eu só estou falando sobre isso porque ele tem - finalizou em entrevista à SKY Sports.

Após a declaração, Frank Lampard voltou a comentar sobre o caso e esclarecer que não há atrito entre os treinadores. Para ele, o que aconteceu foi um momento do jogo e que ambos poderiam até beber uma cerveja juntos. Ele também explicou que não gostou de atitudes vindas do banco do rival e que se exaltou no calor do confronto.

- É preciso esclarecer uma coisa: escreveram em algumas notícias que eu fiquei chateado com os festejos do Liverpool. Longe disso. Penso que, depois da época que fizeram, o Liverpool deve celebrar da forma que bem entender. Podem fazê-lo da forma como fizeram após o apito final, após cada gol que marcam, e vão celebrar uma vez mais com os adeptos assim que tal seja possível. Até podia beber uma cerveja com Klopp e brindar o sucesso do Liverpool - afirmou o técnico do Chelsea em coletiva de imprensa.

- Aconteceram coisas vindas do banco deles que eu não gostei. Não foi de Jurgen Klopp, mas do banco. As emoções estavam ao quentes no jogo - opinou.











Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também