Após decisão da Justiça, Salgado promete 'olhar para o futuro' do Vasco; Leven garante não recorrer

LANCE!
·3 minuto de leitura


Candidato mais votado na eleição do Vasco do dia 14 de novembro, Jorge Salgado pode ser considerado, finalmente, o próximo presidente do Vasco. Após a decisão da Justiça, na tarde desta quinta-feira, que negou a validade do pleito do dia 7 - no qual Luiz Roberto Leven Siano foi o vencedor -, o pleito seguinte passou a ser o válido. E o próximo mandatário cruz-maltino se manifestou, por meio do Twitter:

"Torcida Vascaína, agora sim. Vamos olhar para o futuro. E o futuro do Vasco começa agora, com a assinatura da Justiça. Agradeço a todos que estiveram comigo nessa caminhada, a todos da Mais Vasco e a todos os sócios que votaram nas duas eleições. Agradeço também ao Leven, Júlio, Campello e Frias, que como eu, se apresentaram para servir ao Vasco nesse próximo triênio. Vamos juntos colocar o Vasco onde ele deve estar. No topo. Como clube e como time. Hoje mesmo já estarei em contato com o presidente Campello para dar seguimento à transição. O trabalho continua. Boa tarde a todos."

A segurança para a manifestação de Salgado se deu porque, minutos antes, o próprio Leven distribuiu comunicado à imprensa. Ele afirma que não vai entrar com recurso para tentar reverter o quadro. No contexto: o recesso do Judiciário, a partir deste domingo até o dia seis de janeiro, a necessidade de posse no clube a partir da segunda quinzena do primeiro mês do ano e a instabilidade vivida tanto para o Vasco atual quanto para o futuro do clube.

"Sou uma pessoa de palavra, portanto acato o resultado como eu mesmo propus. O Vasco não merece mais indefinição. Que os torcedores compreendam que a decisão de por um ponto final nisso é definitiva e é pelo Vasco. Além disso, descabe recurso para o tribunal superior por decisões em tutela antecipada, de forma que recorrer apenas alimentaria a esperança do torcedor, sem que houvesse uma chance real de reversão. Isso apenas causaria tumulto e mais frustração e meu objetivo foi sempre dar alegria ao torcedor, de forma que eu não vou alimentar esperanças não realizáveis.

O torcedor precisa compreender que não é somente o Vasco que precisa ser corrigido, mas o Brasil. Nem sempre a Justiça é justa, quanto mais no nosso país. Aos Vascaínos fica a mensagem final para reflexão de que o VASCO só voltará a ser realmente forte quando ele puder ser autodeterminado de dentro para fora e não por meio de intervenções externas de poderes paralelos. O Vasco precisa se libertar e essa liberdade só existirá quando seus homens e mulheres puderem cumprir as regras do clube e a elas se submeterem. Um Vasco de fora para dentro será sempre fraco.

Agradeço a todos meus conselheiros, vice-presidentes, executivos e a cada um dos 1.155 votos dados em 7 de novembro. Mais especialmente ainda, agradeço ao carinho dos milhões de torcedores Vascaínos em todo o Brasil que entenderam plenamente minha visão de Vasco sugerida.

É estranho que o clube tenha um Presidente que não me derrotou, mas lhe desejo sorte. Estarei na social ou na arquibancada sempre torcendo com os meus filhos. Neste momento me aposento da política do clube e após um justo descanso natalino, retorno aos meus negócios e clientes com a cabeça erguida. Por fim, peço a todos os torcedores que apoiem sempre o Vasco, seja quem for o Presidente. Obrigado."

A nota acima foi divulgada ao site "Ge" e, em seguida, ao LANCE! e outros veículos de imprensa.

-> Confira a tabela do Campeonato Brasileiro