Após confirmação de Pérez, relembre todos os pilotos da Red Bull na F1

Federico Faturos
·9 minuto de leitura

Após meses de incerteza em relação a quem seria o companheiro do holandês Max Verstappen na temporada 2021 da Fórmula 1, a Red Bull finalmente confirmou a contratação do mexicano Sergio Pérez, que foi dispensado pela Racing Point.

Depois de correr pelo time desde 2014, o latino-americano foi 'chutado' para abrir vaga para o alemão Sebastian Vettel, que deixou a Ferrari e liderará o projeto Aston Martin no próximo campeonato da F1.

Robert Doornbos

Robert Doornbos<span class="copyright">Red Bull GmbH and GEPA pictures GmbH</span>
Robert DoornbosRed Bull GmbH and GEPA pictures GmbH

Red Bull GmbH and GEPA pictures GmbH

O holandês tomou o lugar do austríaco Christian Klien nas últimas três corridas daquele ano. Doornbos é o piloto que disputou menos GPs pela Red Bull. Em 2006, ele era reserva da equipe, após correr oito GPs pela Minardi em 2005.

Vitantonio Liuzzi: 4 GPs em 2005

Vitantonio Liuzzi

Vitantonio Liuzzi<span class="copyright">Red Bull Racing</span>
Vitantonio LiuzziRed Bull Racing

Red Bull Racing

O italiano foi campeão da Fórmula 3000 em 2004, com sete vitórias em 10 corridas, de modo que se esperava que Liuzzi fosse companheiro do escocês David Coulthard na temporada de estreia da Red Bull na F1 em 2005.

A vaga ao lado do ex-McLaren acabou ficando com Klien, mas havia um acordo para que o italiano compartilhasse o carro com o austríaco, de modo que Liuzzi correu os GPs de San Marino, Espanha, Mônaco e Europa (em Nurburgring). Foi titular da Toro Rosso em 2006.

Pierre Gasly: 12 GPs em 2019

Pierre Gasly, Red Bull Racing RB15

Pierre Gasly, Red Bull Racing RB15 <span class="copyright">JEP / Motorsport Images</span>
Pierre Gasly, Red Bull Racing RB15 JEP / Motorsport Images

JEP / Motorsport Images

Sensação da temporada 2020 ao vencer o GP da Itália com a AlphaTauri em Monza, o francês foi promovido a titular da Red Bull em 2019 após boa temporada com a Toro Rosso em 2018, mas o período ao lado de Verstappen foi desastroso para Gasly.

O francês estreou nas últimas provas da F1 2017, se consolidou no ano seguinte e chegou badalado à equipe principal do grupo de energéticos em 2019, mas fracassou na tentativa de acompanhar o ritmo de Verstappen, foi amplamente criticado pela RBR e acabou rebaixado.

Assim, desde o GP da Bélgica de 2019, Gasly corre pelo 'time B', mas a volta por cima foi mais do que espetacular: pódio no GP do Brasil do ano passado, ao segurar a Mercedes do britânico Lewis Hamilton, além do triunfo italiano em 2020.

Daniil Kvyat: 21 GPs entre 2015 e 2016

Daniil Kvyat, Red Bull Racing, segundo lugar

Daniil Kvyat, Red Bull Racing, segundo lugar<span class="copyright">Glenn Dunbar / Motorsport Images</span>
Daniil Kvyat, Red Bull Racing, segundo lugarGlenn Dunbar / Motorsport Images

Glenn Dunbar / Motorsport Images

O russo chegou a Red Bull em 2015 com a difícil missão de substituir Vettel ao lado do australiano Daniel Ricciardo, que batera o alemão no ano anterior e só deixou o time no fim de 2018 após se sentir preterido em relação a Verstappen. O holandês, aliás, foi o 'algoz' de Kvyat.

O começo da passagem do russo pela RBR, porém, foi bom: em ano complicado para a equipe, o ex-Toro Rosso superou Ricciardo no campeonato, conquistou um segundo lugar no GP da Hungria, e chegou com moral para 2016.

Entretanto, aí que os problemas começaram. O russo bateu em Vettel no GP da China e voltou a colidir com o ex-Red Bull em sua corrida de casa, em Sóchi. Acabou substituído por Verstappen na prova seguinte, na Espanha, e viu o holandês triunfar na estreia pelo 'time A'. Kvyat seguiu na Toro Rosso, perdeu vaga na equipe italiana, retornou e acabou de ser dispensado pela atual AlphaTauri, sendo substituído pelo japonês Yuki Tsunoda.

Alexander Albon: 26 GPs entre 2019 e 2020

Alex Albon, Red Bull Racing RB16

Alex Albon, Red Bull Racing RB16<span class="copyright">Mark Sutton / Motorsport Images</span>
Alex Albon, Red Bull Racing RB16Mark Sutton / Motorsport Images

Mark Sutton / Motorsport Images

Após ter tudo pronto para correr pela Nissan na Fórmula E, o anglo-tailandês recebeu um convite de última hora para ser piloto da Toro Rosso em 2019 e acabou promovido à Red Bull após apenas 12 corridas na F1.

Albon assumiu a vaga de Gasly para o fim da temporada 2019 e, sem pressão, demonstrou bons resultados, tendo estado perto de um pódio no GP do Brasil, prova na qual acabou prejudicado por Hamilton em acidente que rendeu punição ao britânico.

Em 2020, o começo foi promissor, com boa atuação e possibilidade de vitória na prova inaugural do campeonato na Áustria, mas novo acidente com Hamilton acabou com a corrida do tailandês.

Depois, Albon entrou em má fase e só conseguiu bons resultados com os pódios nos GPs de Toscana e Bahrein, além do quarto lugar no encerramento da temporada, em Abu Dhabi. Porém, já era tarde demais: ele foi para a reserva e abriu vaga para Pérez para a F1 2021.

Christian Klien: 28 GPs entre 2005 e 2006

Christian Klien en la parrilla de salida

Christian Klien en la parrilla de salida<span class="copyright">Red Bull Racing</span>
Christian Klien en la parrilla de salidaRed Bull Racing

Red Bull Racing

Piloto da Red Bull ao lado de Coulthard no debute da equipe na F1 em 2005 após correr pela antecessora Jaguar no ano anterior, o austríaco correspondeu às expectativas na temporada inaugural pelo time austríaco, mesmo tendo que ceder o carro a Liuzzi em algumas provas.

Em 2006, porém, o rendimento de Klien caiu e ele só conseguiu somar dois pontos antes de ser substituído por Doornbos para as últimas três corridas do campeonato. No anterior, somara 9 dos 34 pontos do time austríaco, resultado 'normal' tendo em vista a experiência de Coulthard.

David Coulthard: 71 GPs entre 2005 e 2008

Podio: ganador de la carrera Fernando Alonso, David Coulthard y Flavio Briatore

Podio: ganador de la carrera Fernando Alonso, David Coulthard y Flavio Briatore<span class="copyright">Red Bull GmbH and GEPA pictures GmbH</span>
Podio: ganador de la carrera Fernando Alonso, David Coulthard y Flavio BriatoreRed Bull GmbH and GEPA pictures GmbH

Red Bull GmbH and GEPA pictures GmbH

Principal piloto da Red Bull nos anos de consolidação da equipe na F1, Coulthard chegou da gigante McLaren para liderar o ambicioso projeto da marca austríaca de energéticos na categoria máxima do automobilismo mundial.

O escocês teve bom rendimento nos primeiros anos, mas já não era mais o mesmo em seu último campeonato na F1, em 2008. De todo modo, conquistou os primeiros pódios da equipe novata: chegou em terceiro nos GPs de Mônaco, em 2006, e de Canadá, em 2008.

Max Verstappen: 96 GPs desde 2016

Max Verstappen, Red Bull Racing celebra

Max Verstappen, Red Bull Racing celebra<span class="copyright">Pirelli</span>
Max Verstappen, Red Bull Racing celebraPirelli

Pirelli

O holandês estreou na F1 com a Toro Rosso em 2015, mostrou velocidade instantânea e ganhou a oportunidade no time principal após o rebaixamento de Kvyat, chegando com moral ao vencer na estreia pela Red Bull, no GP da Espanha de 2016.

Desde então, Verstappen se consolidou ao lado de Ricciardo, tornou-se a referência da equipe após a saída do australiano e já soma 10 vitórias e 42 pódios com a escuderia austríaca baseada em Milton Keynes, na Inglaterra.

Daniel Ricciardo: 100 GPs entre 2014 e 2018

Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB10 Renault, Fernando Alonso, Ferrari F14T

Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB10 Renault, Fernando Alonso, Ferrari F14T<span class="copyright">Alastair Staley / Motorsport Images</span>
Daniel Ricciardo, Red Bull Racing RB10 Renault, Fernando Alonso, Ferrari F14TAlastair Staley / Motorsport Images

Alastair Staley / Motorsport Images

Após a aposentadoria do australiano Mark Webber, Ricciardo foi promovido da Toro Rosso e estreou pela Red Bull em 2014, como novo companheiro do então tetracampeão consecutivo Vettel.

Apesar do forte concorrente, o australiano se adaptou melhor aos novos regulamentos da era híbrida e não tomou conhecimento do companheiro de equipe, que deixou a Red Bull para correr pela Ferrari de 2015 em diante.

Em 2014, foram três vitórias de Ricciardo contra zero de Vettel. O australiano foi o terceiro colocado no campeonato vencido por Hamilton, que superou seu então parceiro alemão de Mercedes, Nico Rosberg.

Após a grande temporada de estreia, Ricciardo somou mais seis triunfos com a Red Bull e se destacou em pistas históricas como Spa-Francorchamps e Mônaco. Entretanto, o australiano optou por deixar o time no fim de 2018, correndo pela Renault em 2019 e 2020.

Ricciardo superou Verstappen no primeiro campeonato em que ambos correram integralmente pela Red Bull, mas viu a equipe austríaca priorizar o holandês nos bastidores e decidiu que queria novos ares. Após a passagem pela Renault, vai para a McLaren-Mercedes.

Sebastian Vettel: 113 GPs entre 2009 e 2014

Sebastian Vettel, Red Bull Racing RB6 Renault, Helmut Marko, Consultor, Red Bull, Adrian Newey, Director Técnico, Red Bull Racing, y el equipo Red Bull celebran sus victorias en el campeonato

Sebastian Vettel, Red Bull Racing RB6 Renault, Helmut Marko, Consultor, Red Bull, Adrian Newey, Director Técnico, Red Bull Racing, y el equipo Red Bull celebran sus victorias en el campeonato<span class="copyright">Andrew Ferraro / Motorsport Images</span>
Sebastian Vettel, Red Bull Racing RB6 Renault, Helmut Marko, Consultor, Red Bull, Adrian Newey, Director Técnico, Red Bull Racing, y el equipo Red Bull celebran sus victorias en el campeonatoAndrew Ferraro / Motorsport Images

Andrew Ferraro / Motorsport Images

Um dos maiores campeões da história da F1, Vettel estreou como substituto de Robert Kubica após acidente do polonês com a BMW-Sauber em 2007. No ano seguinte, virou titular da Toro Rosso e chocou ao triunfar na Itália, tornando-se então o mais jovem vencedor da categoria.

No ano seguinte, foi contratado pela Red Bull ao lado de Mark Webber, mas não se intimidou com o australiano e foi vice-campeão, desbancando Rubens Barrichello, da Brawn, e ficando atrás somente do britânico Jenson Button, companheiro do brasileiro e finalmente campeão.

Daí em diante, Vettel se afirmou na equipe, voltou a bater Webber em 2010, sendo campeão em cima do espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, e conquistou mais três títulos subsequentemente. No total, foram 38 vitórias, 44 poles e 65 pódios com a Red Bull.

Mark Webber: 129 GPs entre 2007 e 2013

Mark Webber, Red Bull Racing RB6 Renault, Sebastian Vettel, Red Bull Racing RB6 Renault

Mark Webber, Red Bull Racing RB6 Renault, Sebastian Vettel, Red Bull Racing RB6 Renault<span class="copyright">Steve Etherington / Motorsport Images</span>
Mark Webber, Red Bull Racing RB6 Renault, Sebastian Vettel, Red Bull Racing RB6 RenaultSteve Etherington / Motorsport Images

Steve Etherington / Motorsport Images

O piloto chegou à Red Bull já veterano em 2007 assumiu a liderança da equipe após a aposentadoria de Coulthard com a missão de elevá-la de patamar após passagens por Minardi, Jaguar e Williams.

Em 2010, Webber brigou pelo título, mas acabou em terceiro. Daí em diante, a relação com Vettel se deteriorou e o australiano gradualmente foi relegado ao posto de segundo piloto, até se aposentar da F1 em 2013. De todo modo, venceu nove GPs, fez 13 poles e somou 41 pódios.

F1: Nelsinho Piquet revela o que 'Nelsão' pensa de Max Verstappen; assista abaixo

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

PODCAST: Os melhores de 2020 na F1 e o que de melhor aconteceu na categoria

Your browser does not support the audio element.

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Spotify Deezer Apple Podcasts Google Podcasts