Após a classificação na Copa do Brasil, o Vasco tem boas notícias e grandes preocupações para lidar

·2 minuto de leitura


A classificação do Vasco às oitavas de final da Copa do Brasil se deu com uma partida que teve chances para as duas equipes, polêmica e emoção. O técnico Marcelo Cabo, na análise externa à imprensa, disse ver garra e evolução, numa contraposição a alguns questionamentos duros na entrevista pós-jogo. De fato, a visão do treinador faz sentido, mesmo que em parte.

- O Marquinhos Gabriel circulou entre os volantes e houve a troca de lado do Pec com o Jabá. O jogo estava para profundidade. Na minha opinião o gol do Pec foi legítimo. Fizemos um bom segundo tempo. Na minha opinião, saímos com a vitória - afirmou o treinador, citando o gol anulado pela arbitragem.

Ocorre que a declaração acima foi sobre a orientação no intervalo, depois do qual o time chegou ao gol - ou aos gols. Antes, havia dificuldade para haver consistência criativa depois dos dez minutos iniciais.

De todo modo, Marquinhos ocupou a faixa central e foi importante, mesmo sendo discreto. Pela esquerda, Léo Jabá foi decisivo. Pela direita, Pec mostrou que o fato de gol não foi embora - justiça seja feita, quase marcou um golaço na primeira etapa, este partindo da esquerda.

-> Confira a tabela da Copa do Brasil

Então as presenças e Jabá e Marquinhos parecem ser necessárias para o funcionamento do time, que segue tendo em Cano a solução maior. O problema é que ainda existem dois grandes problemas:

1. Existe uma Canodependência. De que outro jogador se pode confiar para fazer gol?
2. A defesa segue extremamente instável. Se não foi dominado, o time voltou a sair atrás no placar, e em casa, tal qual contra o Operário-PR. Aliás, o Boavista teve chances cara a cara com Vanderlei no início do primeiro tempo, no início do segundo e também no final da segunda etapa.

- Chegamos ao oitavo gol sem levar gol de bola parada. Nos cobravam - ponderou o treinador.

Nem tanto ao céu, nem tanto à terra. O time melhorou defensivamente nas últimas semanas e encontrou soluções criativas. Só que é preciso evoluir muito mais ainda tanto na retaguarda quanto no terço final para o Vasco se tornar um time confiável na Série B do Campeonato Brasileiro.